Réplicas de carros clássicos em Colônia

Carro esportivo clássico com moderna tecnologia VW: a réplica do Lafer-MG TD aberto da concessionária Idelberger em Colônia .
"Carro esportivo clássico com moderna tecnologia VW: a réplica do Lafer-MG TD aberto da concessionária Idelberger em Colônia..."

"

A nostalgia é o trunfo: se você quiser, pode rodar pelas estradas em automóveis clássicos de 50 anos novamente, e a preços acessíveis.

Não nos poucos originais restantes, é claro, que só podem ser comprados em leilões a preços de fantasia espetaculares, mas em réplicas fiéis ao original, que agora são oferecidas pela Auto-Shop Idelberger em Colônia 41 (Rua Widdersdorfer  252, Tel. 0221/492162).

Ali, réplicas de carros esporte com carrocerias de fibra de vidro são criadas com tecnologia moderna por baixo. Por exemplo, o roadster Jaguar SS-100 de 1937, do qual apenas 309 foram construídos, e o XK-120, que foi produzido a partir de 1952 e ainda nos delicia com suas linhas clássicas. Eles são movidos por modernos motores Ford: o SS-100, que custa 50.650 DM, é alimentado por um V6 com 2,8 litros de deslocamento (110 kW/150 HP), e o XK-120, que custa 45.000 DM, por um V8 com cinco litros de deslocamento.

Se você não quiser investir tanto, você também pode obter um Lafer-MG TD de teto aberto com tecnologia VW e um motor de 1,6 litros (55 kW/75 HP) por 39.500 DM. Também com a tecnologia VW e o motor de injeção de 1,8 litros (66 kW/90 HP), há também o clássico italiano Miura na versão Spider aberta (48.000 DM) ou na versão Targa (36.500 DM).

-ps-

"

Um recorte de jornal amarelado pelo tempo.
Um recorte de jornal amarelado pelo tempo.

A notícia acima foi publicada originalmente no jornal Lübecker Nachrichten num domingo, em 17 de abril de 1988. Quem nos encaminhou o recorte da publicação foi o Miro Dudek, que reside na Alemanha, mas já passou uma temporada no Brasil, onde comprou seu MP Lafer devidamente transportado para a Europa após o fim de sua estadia na América do Sul.

A foto deste Jaguar SS-100 foi publicada originalmente no livro "Les Grandes Marques" da editora Gründ, em 1982, na França.
A foto deste Jaguar SS-100 foi publicada originalmente no livro "Les Grandes Marques" da editora Gründ, em 1982, na França.

Entre os carros citados na breve reportagem, o Jaguar SS-100 é bem parecido com o MP Lafer, embora de porte consideravelmente maior, capaz de abrigar um motor Ford de seis cilindros em V, com 2,8 litros de capacidade. Já o modelo XK-120 também ganhou réplicas no Brasil, uma delas construída pelo Adilson Nicoletti, de Itapetininga, interior de São Paulo e também grande entusiasta do MP Lafer.

O Jaguar XK-120 construído pelo Nicoletti no começo dos anos de 2010.
O Jaguar XK-120 construído pelo Nicoletti no começo dos anos de 2010.

Por fim, não podemos confundir o Miura citado na matéria (em destaque no vídeo a seguir), pois trata-se do modelo italiano criado pela Lamborghini no final da década de 1960, sem qualquer relação com os Miuras brasileiros, fabricados no Brasil entre o final dos anos de 1970 e década de 1980.

Carro bom, filme bom e música boa: combinação rara hoje em dia.

Sobre os valores apresentados pelo jornal alemão, fizemos um breve estudo de conversões. Tomando por base que um dólar (US$) valia aproximadamente 1,6 marco alemão (DM) em 1988, um MP Lafer na Alemanha, anunciado a 39.500 DM, correspondia a aproximadamente US$ 24.687,5. 

Em abril de 1988 um dólar valia aproximadamente 125 cruzados (a moeda brasileira vigente à época). Portanto, um MP Lafer custava aproximadamente Cz$ 3.086.000 na Alemanha. Trazendo esse valor para outubro de 2021, já em reais, um MP Lafer custaria R$ 286.000 ou 45.760 euros para os alemães. 

Levando em conta que o salário mínimo dos alemães é de 9,5 euros por hora, seriam necessárias 4.817 horas de trabalho (120 semanas ou pouco mais de dois anos) para se comprar um MP Lafer zero km na Alemanha.

Portanto, se você tem um MP Lafer, seja na Alemanha, no Brasil ou em qualquer lugar do mundo, trate de cuidar bem dele, dando valor para o esforço empregado na sua fabricação, venda e manutenção ao longo dos anos, fora aqueles que você suou para poder comprar um.

Veja também:

Prospecto do MP Lafer na Alemanha

Jaguar XK 120 – versão Nicoletti

Dez vezes Alemanha: Wassenberg 2021

Vivalendo.com recomenda:

XXIV Encontro Nacional do MP Lafer - Águas de Lindóia 2021

MPs estacionados diante do Hotel Majestic em Águas de Lindóia.
MPs estacionados diante do Hotel Majestic em Águas de Lindóia.

Um ano e meio depois da primeira quarentena decretada no Brasil, cancelando a edição do principal evento promovido pelo Clube MP Lafer Brasil em 2020, chegou a hora de retomar aqueles pequenos prazeres que são o tempero da vida que, a despeito das dores e sofrimentos do cotidiano, merece pulsar em sua plenitude.

O relato de Gilberto Martines

O Giba é um dos poucos laferistas que esteve presente em todos os passeios anuais do Clube MP Lafer Brasil, desde 1998. Ele também é um dos grandes colaboradores do site mplafer.net e neste ano não seria diferente. Confira o que ele escreveu.

Depois de um longo período sem escrever alguma coisa sobre os nossos brinquedos de estimação, resolvi relatar um pouco do nosso passeio anual, realizado pelo Clube MP Lafer Brasil neste final de semana, entre 17 e 19 de setembro de 2021. 

Esse longo período sem postagem , como todos sabem, foi em decorrência da pandemia que acometeu o mundo, colocando todos de resguardo. Com isso, os eventos de carros antigos deixaram de acontecer.

O nosso 24° passeio deveria ter ocorrido em março do ano passado e por causa da Covid-19  foi preciso ser adiado. Porém, o local escolhido foi mantido: Águas de Lindóia, cidade do interior de São Paulo pertence ao Circuito das Águas, com fontes de uma das melhores águas do mundo. Como curiosidade, teria sido de uma fonte de Lindóia que a NASA coletou água para ser consumida pelos astronautas  na primeira viagem à Lua.

Neste ano o nosso passeio teve um formato diferente: não tivemos a formação do comboio para fazer o deslocamento para a cidade escolhida e foi sugerido que cada um saísse a hora que achasse melhor. Isso foi feito para tentar minimizar riscos de acidentes, pois cada vez mais as estradas estão mais cheias e o deslocamentos em filas indianas de MPs, como vinha sendo feito nos eventos anteriores, promovem  muita distração para quem está dirigindo.

Desta forma, foi sugerido para que todos que gostariam de participar do nosso encontro estivessem em Águas no dia 18 de setembro, em frente ao Hotel Majestic. Porém, a grande maioria dos participantes optou por chegar na sexta-feira, dia 17, e ficar hospedado no hotel para retornar só no domingo.

O nosso presidente do clube, o Senhor Walter, sugeriu fazer o passeio agora pois, a grande maioria dos participantes já tomaram as duas doses da vacina e tentamos seguir ao máximo todos os protocolos sociais contra a Covid-19.

Eu e minha mulher saímos de São Paulo na sexta-feira de manhã. Para chegar em Águas de Lindóia, podemos optar por três caminhos diferentes. Eu e meu amigo Milton, mais conhecido como Jabá, combinamos de nos encontrar no km 28 da Rodovia dos Bandeirantes. Optamos por fazer a rota que passa pelas cidades de Itatiba, Morungaba, Amparo, Serra Negra, Lindóia e finalmente Águas de Lindóia. Pessoalmente, acho essa rota mais gostosa para seguir, com estradas bastante sinuosas e trechos de serra que exigem bastante atenção do motorista, mas com paisagens incríveis.

A chegada em Águas de Lindóia, passando pelo portal principal.
A chegada em Águas de Lindóia, passando pelo portal principal.

Saímos do km 28 da Rodovia às 10 horas e às 12:30 horas estávamos em Serra Negra, onde almoçamos. Demos uma volta rápida pela cidade e partimos para Águas de Lindóia. Por volta das 15 horas já estávamos dando entrada no Hotel Majestic. No final da tarde já estavam presentes uns 20 MPs.

O hotel disponibilizou, para os nossos carros, um espaço coberto e fechado para pernoitar, e reservou outro espaço em frente ao hotel para que, durante o dia, os carros ficassem expostos aos visitantes.

A garagem do Hotel Majestic ficou mais bonita.
A garagem do Hotel Majestic ficou mais bonita.

No sábado, logo cedo, retiramos os carros da garagem e os colocamos perfilados em frente ao hotel. O colorido das nossas baratinhas, misturado com o verde do jardim, deixou ainda mais linda a paisagem. Até a hora do almoço já contávamos com a presença de 38 MPs. A maioria das nossas esposas foram fazer um passeio pela cidade para visitar o centro comercial e fazer algumas comprinhas, e nós, velhos fanáticos por ferrugem e gasolina, ficamos por ali colocando nossos assuntos em dia.

MPs perfilados na Praça Doutor Vicente Rizzo.
MPs perfilados na Praça Doutor Vicente Rizzo.

De noite os carros foram novamente colocados na garagem. Após o jantar, o hotel nos proporcionou um show musical com o cantor Rony, que já se apresentou muitas vezes no programa "Qual é a Música?"  do Silvio Santos. Um show muito gostoso e animado, com pista de dança e tudo o mais.

Nem precisa mostrar o carro todo: beleza essencial.
Nem precisa mostrar o carro todo: beleza essencial.

Vista parcial dos MPs a partir do acesso do Hotel Majestic.
Vista parcial dos MPs a partir do acesso do Hotel Majestic.

No domingo colocamos novamente os carros para exposição e, por volta das 10 horas, fomos fazer uma pequena volta em carreata pela cidade. Estava uma delicia, causando um pequeno alvoroço na cidade.

Almoçamos e, aos poucos fomos, nos despedindo e cada um seguiu seu caminho .

Gostaria de deixar minha opinião sobre o novo formato do passeio: achei muito melhor, pois pudemos ficar mais tempo com os amigos e desfrutar mais das coisas boas da cidade. Foi menos cansativo, mas não foi um passeio onde compareceram muitos laferistas - acredito que por causa da pandemia.

Domingo de tarde: hora de colocar as malas no carro e voltar para casa.
Domingo de tarde: hora de colocar as malas no carro e voltar para casa.

Queria deixar aqui meus agradecimentos ao Hotel Majestic que nos recebeu muito bem, ao Toninho da Tony Car , que esteve presente com sua família e, mesmo estando a passeio, ajudou a tirar pequenas dúvidas de alguns proprietários, ao Walter e Romeu pela ótima escolha da cidade.

Um abraço para todos os laferistas e, se Deus permitir, estaremos novamente juntos em dezembro para o almoço de final de ano.

A repercussão no Instagram

A Giovana Meneguin, filha do Decio Meneguin, é jornalista e, assim como o pai, dirige um belo MP Lafer. Ela criou um perfil no Instagram para registrar os bons momentos proporcionados pelo conversível. Veja, a seguir, alguns de seus instantâneos, e aproveite pare segui-la, pois isso adicionará gotas de beleza e leveza no seu feed.

A gente também tem um perfil no Instagram, embora voltado para outros assuntos. Mas quando tem encontro de MP Lafer, abrimos uma janela para expor nossa paixão e entusiasmo por tudo o que cerca o universo desse clássico brasileiro, que não cansa de trazer alegria e felicidade para quem se rende ao sabor do vento no rosto, sob um sol generoso.

A repercussão no YouTube

Ao longo da primeira semana após o evento, recebemos diversas imagens e vídeos curtos sobre os MPs na cidade de Águas de Lindóia. Tratamos de fazer uma compilação desse material, para ele não se perder na bruma das redes sociais.

A mudança no perfil do evento - de carreata na estrada para exposição estática numa praça - permitiu mais tempo para conversar com os amigos. Então, dessa vez deixamos o relato por escrito a cargo do Super Giba e resolvemos bancar o repórter por um dia, não para o Fantástico, mas para os amigos do site mplafer.net

Coletamos depoimentos deliciosos de gente que tem história para contar sobre o MP Lafer. É quase uma hora de vídeo, mas deu muito prazer em gravar, editar e compartilhar com todos.

Agora nos resta agradecer sua atenção e desejar que tudo de bom ocorra em busca dessa nova normalidade. Sucesso para você e sua família. Até 2022!

Veja também:


MP em Artur Nogueira 2019

MPs em Socorro 2018

MPs em Águas de São Pedro 2017

Vivalendo.com recomenda:


Isso foi há 20 anos

O MP Lafer 1974 entrou para a família em 1997 e motivou a criação deste site em 2001.
O MP Lafer 1974 entrou para a família em 1997 e motivou a criação deste site em 2001.

Em agosto de 2021 o site mplafer.net completa 20 anos de existência, após nascer num portal de sites gratuitos. Lembre como era o mundo naquele tempo.

Por Jean Tosetto

Você se lembra onde estava em agosto de 2001? O que estava fazendo? Em que cidade estava morando? Com o que se preocupava na época? 2001 foi um ano muito aguardado a partir da segunda metade do século 20. Nas ficções científicas da década de 1960, imaginava-se que os seres humanos estariam viajando pelo espaço sideral com certa regularidade e que os computadores seriam inteligentes a ponto de ganharem autonomia em relação aos seus programadores. Pois bem, já se passaram 20 anos desse futuro anunciado.

Em 2001, nosso presidente era o sociólogo Fernando Henrique Cardoso, encerrando seu seguindo mandato. O metalúrgico, sindicalista e líder da oposição, Luiz Inácio Lula da Silva, despontava como principal candidato na sucessão eleitoral do ano seguinte. Em função da polvorosa política da época, o dólar, que já esteve em paridade com o real em 1994, havia ingressado em 2001 na casa dos R$ 1,90. Em agosto daquele ano já havia batido surpreendentes R$ 2,50 (guarde este número).

Nos Estados Unidos, as Torres Gêmeas do World Trade Center ainda estavam de pé, no coração de Manhattan, assim como o sonho americano, que ainda reluzia na relativa facilidade dos turistas para desembarcarem nos aeroportos, sem serem vistos como terroristas em potencial. George Bush, o filho, era somente o presidente bonachão eleito após uma contagem de votos controversa na Flórida, decisiva para derrotar Al Gore, que seguiu carreira como ambientalista.

Como o brasileiro adora futebol, cabe comentar a respeito da seleção brasileira, até então tetra campeã mundial. Em 2001, porém, o time estava desacreditado, com empates contra times fracos em casa e derrotas para os principais adversários, fora de casa, pelas eliminatória da Copa da Coreia e do Japão, que seria realizada no ano seguinte. Em agosto, no dia 15 (guarde esta data), a equipe do Brasil dava um alento para o torcedor, ao vencer o Paraguai por 2 a 0 no antigo estádio do Grêmio, em Porto Alegre, diante de um público de 48 mil pessoas. 

Sim, havia gente nas arquibancadas, mas as pessoas não faziam selfies durante a partida, por uma razão muito simples: os celulares da época ainda não tiravam fotos - eles apenas faziam chamadas telefônicas e alguns já enviavam mensagens de texto. Porém, pouca gente tinha um aparelho no bolso. A propósito, Nokia e Siemens eram as marcas mais comuns. 

Para tirar fotos, as pessoas ainda usavam câmeras fotográficas convencionais, embora as primeiras câmeras digitais já estivessem disponíveis no mercado, mas ainda eram muito caras. A líder mundial de fabricação de filmes fotográficos era a Kodak. As pessoas compravam rolos com 12, 24 ou 36 poses, e economizavam nos cliques, torcendo para cada foto sair a contento na revelação, quando lojas em Shoppings podiam fazer isso em "apenas" uma hora.

Ainda no quesito das telecomunicações, as cidades brasileiras ainda eram salpicadas de orelhões, como as cabines de telefones públicos eram conhecidas naquele tempo. Detalhe: a primeira patente do orelhão foi registrada pela Lafer (guarde este nome). A novidade de então eram os cartões coloridos que continham créditos para realizar as chamadas, que estavam substituindo as fichas e podiam ser colecionados, assim como as figurinhas de chiclete. Muitos jovens nascidos depois de 2001 ainda usam a expressão "caiu a ficha" sem saber que, quando uma chamada a partir de um orelhão não era completada, a ficha usada caia numa gaveta metálica para ser devolvida ao usuário.

Em agosto de 2001, o mundo ainda convivia com três dos quatro Beatles. Rumores davam conta que George Harrison estava enfrentando um duro tratamento contra o câncer. A ficha ainda não havia caído de que eram seus últimos dias, como eram também os últimos dias do Toninho, prefeito de Campinas que estava incomodando algumas pessoas, e cuja motivação de seu assassinato permanece não esclarecida até hoje.

Mas voltemos aos assunto mais leve da telefonia, que é muito importante para este artigo. As linhas telefônicas fixas eram um artigo de luxo. Embora a privatização do sistema telefônico já estivesse em curso, a fila para poder comprar um número ainda era grande, tanto que empresas alugavam linhas telefônicas e seus detentores tinham que, inclusive, relatar as mesmas nas declarações anuais de imposto de renda.

Pelas linhas telefônicas os brasileiros poderiam acessar uma grande novidade, que prometia mudar o mundo: a Internet. As pessoas moderninhas de então conectavam seus computadores de mesa em aparelhos de telefone a acessavam os primeiros websites da história. Que coisa fantástica era esse tal de e-mail, que substituía os telegramas, as cartas, os cartões postais, os envelopes e os selos (assim como a nossa saliva).

Acessar a Internet era muito caro para a maioria das pessoas, mesmo da classe média. Muitos esperavam dar meia-noite para fazer isso, pois a ligação ficava mais barata e não havia mais contagem de pulsos, pelo menos até o amanhecer. Os primeiros namoros virtuais (e também as primeiras desilusões amorosas reais, em função disso) aconteceram via ICQ. Redes sociais? Ninguém sabia o que era isso nas salas de chat do Yahoo!

O Yahoo!, a propósito, ainda ganhava de goleada do Google, em termos de acessos e receitas. Nos Estados Unidos, onde a Internet já estava bem mais desenvolvida, investidores e especuladores compravam ações de empresas do tipo "pontocom" aos montes. Norte-americanos emprestavam dinheiro nos bancos para comprar ações e revender em seguida. Pessoas comuns estavam ficando milionárias - não da noite para o dia, mas de um mês para o outro. Logicamente, aquela euforia era uma bolha. E a bolha estourou ainda no ano 2000. Em 2001, ninguém queria saber de comprar ações de empresas relacionadas com a Internet.

Em agosto de 2001 você podia comprar uma ação da Amazon por apenas US$ 9,95. Como o dólar estava cotado a R$2,50, bastava ter R$ 24,88 para você se tornar sócio de Jeff Bezos - um lunático sonhador da época, que teve a ideia de vender livros pela Internet, que seriam entregues pelos serviços postaisvejam só. Quem seria doido de colocar dinheiro nisso? Quem imaginaria que Jeff Bezos seria o homem mais rico do mundo 20 anos depois, e que viajaria para o espaço sideral a bordo de uma nave particular?

Quem acreditava na Amazon em agosto de 2001?
Quem acreditava na Amazon em agosto de 2001? (Fonte: Google)

Pois é, aqui entra o MP Lafer nesta história, me levando de carona, reconhecendo que sequer sabia da existência da Amazon em agosto de 2001. As coisas ainda demoravam para chegar no Brasil, onde ainda estávamos deslumbrados com o potencial da Internet. A iG (de internet Gratuita e depois internet Group) estava investindo pesadamente no mercado brasileiro, se apresentando como um provedor de acesso gratuito para Internet, no qual o usuário só pagava pela ligação telefônica. 

O objetivo do iG era ganhar dinheiro com a publicidade vinculada aos seus produtos, dentre eles o sistema hpG (de home page Gratuita), que permitia a qualquer usuário criar e hospedar um site na Internet, desde que permitisse a veiculação de anúncios em meio ao conteúdo produzido.

Então, em agosto de 2001, eu poderia ter vendido meu MP Lafer 1974 por R$ 8.000, considerando que era apenas um carro velho e não um clássico em potencial. Convertendo a venda do conversível em dólares, seriam US$ 3.200 suficientes para comprar 321 ações da Amazon na Bolsa de Valores da Nasdaq. Sabe qual seria o meu patrimônio em agosto de 2021, quando a ação da Amazon atingiu o preço de US$ 3.344,94?

US$ 1.073.725,74.

Considerando o dólar de agosto de 2021 cotado em R$ 5,23, estamos tratando de um montante de R$ 5.615.585,62, conhecidos também como 5,6 milhões de reais. Ao invés de ser dono dessa fortuna, preferi ficar com meu MP Lafer na garagem e criar a página mplafer.hpg.ig.com.br que se tornaria simplesmente mplafer.net em abril de 2002.

A primeira foto do MP Lafer 1974 no jardim da casa, distante poucos metros do escritório onde o site mplafer.net foi gestado.
A primeira foto do MP Lafer 1974 no jardim da casa, distante poucos metros do escritório onde o site mplafer.net foi gestado.

Como o "se" não existe na história, não tenho qualquer arrependimento. Pelo contrário: sou um afortunado graças a tantas coisas boas que este site vem trazendo ao longo dos anos, na forma de amizades de alcance global e na abertura de novas possibilidades que colaboraram decisivamente para eu me tornar quem sou hoje: um eterno sonhador que realizou alguns projetos, dentre eles escrever livros e curtir a vida a bordo dessa máquina de fazer a gente mais feliz.

Neste momento, sé me resta agradecer pelos 20 anos compartilhados com todos aqueles que colocam doses de paixão e entusiasmo em suas decisões. Seguimos acelerando até acabar a gasolina ou até proibirem motores a combustão nas estradas.

Veja também:

A Lafer completa 90 anos de fundação

20º Passeio do MP Lafer - Holambra 2016

Dez vezes Alemanha: Wassenberg 2021

Vivalendo.com recomenda:

Clube MP Lafer Brasil convida:

Uma nova data para um novo tempo.

Após um ano muito difícil em 2020 e um ano de recuperação em 2021, chegou a hora de tentarmos viver uma "nova normalidade" com novos costumes. Com fé.

 

Caro amigo Laferista,

O Encontro Nacional do MP Lafer, que deveria ser realizado em 2020, teve sua realização adiada diversas vezes devido à pandemia.

Agora, que a maioria da população está vacinada, há condições de realiza-lo, sendo que ainda deveremos ser prudentes quanto ao uso de máscara e distanciamento social.

Local: Hotel Majestic de Águas de Lindóia.

Data: 17 a 19 de setembro de 2021.

O Hotel manteve todas as reservas efetuadas, sendo possível ainda fazer reserva.

Procure contata-lo, pelo tel: 11-3217.9800 (citar o Encontro do MP Lafer).

Haverá local fechado para pernoite dos carros, sendo que durante o dia, ficarão perfilados em uma praça em frente.

Aguardamos sua presença, sendo que não haverá carreata de ida e volta.

Por último, não se esqueça de revisar seu carro.

Abraços,

Walter Barboza de Arruda / 11 - 97122.6260

Presidente do Clube MP Lafer Brasil

 

Vivalendo.com recomenda:

 

Dez vezes Alemanha: Wassenberg 2021

MPs num dos jardins mais belos de Wassenberg.
MPs num dos jardins mais belos de Wassenberg.

Aos poucos a "nova normalidade" se instala na Alemanha, que volta a ter um encontro nacional de MP Lafer, depois dos eventos fracionados no ano anterior.

O Ludwig Stolz é empresário na Alemanha. Ele atua no comércio de eletrodomésticos. A gente sabe que ser empresário não é fácil em qualquer lugar do mundo, pois a empresa ocupa muito o tempo da pessoa. Apesar disso, Stolz arranjou energias para criar um grupo de amigos do MP Lafer na Alemanha, em 2011, e para editar um site dedicado ao carro.

Já o Miro Dudek, marido da Iracema, é engenheiro numa multinacional. Ela trabalha num hospital. Vida corrida com muita responsabilidade. Nos fins de semana o casal ainda resolveu fazer algo extra: traduzir do português para o alemão o livro "MP Lafer: a recriação de um ícone".

Na Suíça, Michael König e Astrid Bucher também fazem um belo trabalho. O site deles resgatou o acervo do jornalista brasileiro João Saboia, o pioneiro em levar o MP Lafer para a Internet, por meio de mplafer.com

A graça da vida está nisso, também: em fazer algo que vai além da mera necessidade de sobreviver. A gente sabe que a humanidade passa por um período difícil. Se ficarmos pensando nas coisas tristes que nos cercam todos os dias, a gente não faz nada - nem o básico para continuar vivendo. Então, estamos aqui para registrar mais um encontro de MP Lafer realizado na Alemanha. E não é qualquer encontro, mas o décimo!

A cidade escolhida para este ano foi Wassenberg, que fica no distrito de Heinsberg, no estado da Renânia do Norte-Vestfália, região de Colónia. Como em edições anteriores, o evento começou numa sexta-feira e a programação se estendeu até domingo. Os participantes ficaram hospedados no Hotel e Restaurante Burg Wassenberg entre os dias 25 e 27 de junho de 2021, no começo do verão no Hemisfério Norte. Ao todo foram reunidos 14 MPs nesta edição do evento.

Os primeiros MPs chegam no local do encontro.
Os primeiros MPs chegam no local do encontro.

Nesta foto faltou apenas um MP Lafer.
Nesta foto faltou apenas um MP Lafer.

Proprietários e entusiastas do MP Lafer reunidos na Alemanha.
Proprietários e entusiastas do MP Lafer reunidos na Alemanha.

O verão na Alemanha é muito aguardado.
O verão na Alemanha é muito aguardado.

Um jardim europeu com plantas e carros exóticos.
Um jardim europeu com plantas e carros exóticos.

No sábado, os participantes do evento fizeram um passeio de MP Lafer pelas estradas de Heinsberg.
No sábado, os participantes do evento fizeram um passeio de MP Lafer pelas estradas de Heinsberg.

A programação do evento incluía um passeio em locomotiva a vapor do século 19, que no Brasil tem o apelido de "Maria Fumaça".
A programação do evento incluía um passeio em locomotiva a vapor do século 19, que no Brasil tem o apelido de "Maria Fumaça".

A tradicional foto do MP Lafer da frente, quando o passeio envolve uma fila destes carros.
A tradicional foto do MP Lafer da frente, quando o passeio envolve uma fila destes carros.

A paisagem rural da Alemanha é singularmente bela.
A paisagem rural da Alemanha é singularmente bela.

Os MPs fazem pose para mais um ensaio fotográfico.
Os MPs fazem pose para mais um ensaio fotográfico.

O carinho com o MP Lafer é tão grande que este veio para o evento numa carreta.
O carinho com o MP Lafer é tão grande que este veio para o evento numa carreta.

Uma noite especial



No vídeo acima temos o depoimento de Alice Mantei Tosetto, que conta um pouco de sua origem no sul do Brasil e sua razão para falar em idioma alemão. Ela relata como seu filho pequeno (este que vos escreve) gostou tanto de um carrinho de pedalar parecido com um MP Lafer, que depois de grande realizou o sonho de ter um modelo de verdade, atenuando a tristeza de uma situação que abalou emocionalmente toda a família. Alice também conta como surgiu o site mplafer.net e como isso resultou no livro "MP Lafer: a recriação de um ícone", terminando com uma saudação para os amigos do MP Lafer na Alemanha. Segundo Miro Dudek, a exibição deste depoimento, na primeira noite do evento, foi tocante. Certamente, foi um registro de coração.


Na sequência, Dudek revelou que está traduzindo o livro do MP Lafer para o alemão. O autor e o tradutor do livro combinaram que os royalties da edição alemã da obra serão convertidos em doações para o Centro Infantil Boldrini de combate ao câncer, que fica na cidade de Campinas, interior de São Paulo, Brasil. Segue a reprodução da mensagem traduzida automaticamente para o alemão, no vídeo anterior:

Olá, amigos! Meu nome é Jean Tosetto.
Eu não sei falar em alemão.
Esta é uma tradução automática. Minha voz não é assim!
Faço este esforço para entregar uma mensagem para vocês.
Sou editor do site “MP Lafer ponto net” e autor do livro do MP Lafer.
O MP Lafer é um carro que só me dá alegrias.
Através deste carro conheci pessoas e lugares incríveis.
O livro do MP Lafer foi o primeiro que eu escrevi.
Este livro me abriu portas para uma nova carreira.
Sou formado em Arquitetura, mas também sou escritor.
Hoje estou aqui para contar uma notícia feliz.
O Miro e a Iracema Dudek estão traduzindo o livro do MP Lafer.
Nós combinamos que a arrecadação deste livro, tanto a versão física como a versão eletrônica, será doada para o Centro Infantil Boldrini de combate ao câncer.
O hospital do Boldrini fica em Campinas, perto da minha casa.
Este hospital tem mais de quarenta anos de história.
É um hospital sem fins lucrativos.
Eles cuidam de crianças de todo o Brasil.
Eu visitei este lugar, pela primeira vez, quando era estudante na faculdade.
Faz tempo.
Eu vi que eles fazem um trabalho sério.
Se você comprar o livro do MP Lafer em alemão, vai ajudar neste trabalho.
Sabemos que isso é muito pouco.
Mas gostaríamos de transformar o entusiasmo pelo MP Lafer num gesto de amor.
Já falei demais.
Amo todos vocês. Cuidem-se bem!
Obrigado!

Mais imagens



É difícil transmitir integralmente - por fotografias, vídeos e relatos por escrito - como é bom participar de um encontro de MP Lafer ou de qualquer outro carro antigo ou especial. Só quem participa pessoalmente de eventos como este, guarda na memória os breves momentos de felicidade proporcionados por uma paixão em comum, que aproxima as pessoas, seja no Brasil ou na Alemanha.

A gente não escolhe a família onde nasce, mas podemos construir amizades em função de interesses em comum. Um carro como o MP Lafer proporciona isso. De perto, todos nós temos defeitos. Porém, como as reuniões relacionadas com um hobby compartilhado são espaçadas e duram poucos dias - ou mesmo poucas horas - só dá tempo de guardarmos boas lembranças dos lugares, das pessoas e dos passeios. Isso representa um belo descanso para a rotina de trabalho ou estudos, que vai sufocando as pessoas no cotidiano.

Por isso, quando acaba um encontro de MP Lafer, a gente já fica pensando em quando será o próximo. Para atenuar a saudade, segue o vídeo do Ludwig Stolz com vistas aéreas feitas com seu drone!


Veja também:





Vivalendo.com recomenda:

Prospectos do MP Lafer no Japão

Um MP Lafer Ti 1979 (identificado no Japão como VW Lafer) e um VW Sedan, conhecido no Brasil como Fusca.
Um MP Lafer Ti 1979 (identificado no Japão como VW Lafer) e um VW Sedan, conhecido no Brasil como Fusca.

A Lafer alcançou vários países na década de 1970 por meio da qualidade de seus projetos no ramo mobiliário e também em função do sucesso do MP Lafer. O Japão fez parte deste movimento.

Desde que o Alex Chopper encontrou um MP Lafer para chamar de seu no Japão, ele passou a pesquisar tudo sobre o carro naquele país. Inclusive comprou outro MP Lafer, desta vez para restaurar e revender, pois este é o seu trabalho: garimpar pérolas sobre rodas na Terra do Sol Nascente e encontrar novos donos para elas.

Pesquisando num site de leilões de memorabilia, ele encontrou dois prospectos do MP Lafer no Japão, da parte dos importadores do modelo por lá, que apresentavam também o nosso Fusca para aquele arquipélago, uma vez que o Fusca, já nos anos de 1970, tinha um ar nostálgico em países de primeiro mundo - sendo um carro vigente no Brasil e no México, países ainda em desenvolvimento.

Generoso como sempre, o Alex lembrou da gente: digitalizou os documentos e encaminhou os arquivos para nós. E a gente, você sabe, divide o que tem a respeito do MP Lafer com os amigos na Internet. Para tanto, procedemos com um trabalho de restauração das imagens, que estavam em ótima qualidade depois de quatro décadas, mas já tinham as marcas do tempo, como algumas dobraduras e "fiapos" que os anos imprimem nos papéis.

Fizemos o que estava ao nosso alcance para levar estas imagens até você, que nos prestigia com sua audiência para o site mplafet.net - esta página que não se cansa de nos dar alegrias. E como a gratidão faz parte desse sentimento, fica o registro de agradecimento para o Alex Chopper, um amigo iluminado que já está fazendo muito pela memória do MP Lafer no Japão.

Frente do folder promocional do MP Lafer no Japão.
Frente do folder promocional do MP Lafer no Japão.

Verso do folder promocional do MP Lafer no Japão.
Verso do folder promocional do MP Lafer no Japão.

Veja também:




Vivalendo.com recomenda:

O design da Lafer em voga

Percival em seu Lafer, na garagem de sua casa.
Percival em seu Lafer, na garagem de sua casa.

Dedicar-se ao trabalho e à busca pela sabedoria pode não render prêmio, mas rende a vida plena. O prêmio, quando vem, deve igualmente ser valorizado.

 A Pandemia do Coronavírus freou a velocidade do mundo, trazendo as pessoas de volta para casa. Para se proteger. Para trabalhar. Para fazer home-office. De repente, voltaram a prestar atenção na luz do sol e na ventilação natural dos ambientes. Voltaram a consultar os arquitetos para tanto. A necessidade de conforto e reconforto aflorou. Lembraram dos designers.

Neste período, a procura por imóveis no campo aumentou. A compra de poltronas ergonômicas (e belas) também. Para quem se viu obrigado a ficar nas grandes metrópoles, uma nova cadeira que abraça as costas enquanto trabalhamos e descansamos passa a ser uma necessidade, antes de um privilégio.

Pequenos vazamentos foram sanados. Lâmpadas foram trocadas. A grama do jardim foi podada. O corrimão na escada foi instalado. Quem não tonificou os cuidados com a própria casa desde que fomos induzidos ao uso de máscaras? Escondemos nossos rostos na mesma proporção em que aumentou nossa curiosidade sobre a casa das pessoas.

A revista Casa Vogue Brasil captou este movimento e passou a apresentar a moradia de gente descolada, que tem algo relevante para contar e beleza para mostrar. O ápice dessa série de vídeos no YouTube foi o episódio com Percival Lafer. Arquiteto. Designer. Um empresário que se viu obrigado a trabalhar em casa, confortado e reconfortado em suas próprias criações.

São pouco mais de seis minutos de puro deleite. A trilha sonora contida, a direção de cena competente e a edição ágil dão suporte a um senhor de pequena estatura e grandeza intelectual, que sabe embalar as palavras na entonação de voz que combina bom humor, sabedoria e elegância. Tudo isso em meio ao caos lá fora, como se fosse o bulbo de uma flor surgindo na junta de dilatação do concreto áspero da calçada.

Aqui, salientamos o mote do trabalho de Percival a frente da Lafer, empresa com 94 anos de fundação: "Não consigo dissociar forma de função. É por isso que as vezes perco muito tempo para elaborar um produto, porque eu não posso conceber um produto onde você não se sinta bem. Por isso, fico gratificado quando isso é apreciado. Eu busco as duas coisas juntas." 

Essa busca lhe rendeu prêmios importantes ao longo da carreira. O mais recente ofertado pela própria revista que o entrevistou, durante o evento "Prêmio Casa Vogue Design 2021", que você pode acompanhar na íntegra, a seguir.

"Gostar do que está fazendo é a coisa mais importante de todas. Aposte todas as suas fichas: se você tem uma coisa que gosta, enfrente as dificuldades que tiver, mas vá em frente. Essa á a receita. Não tem outra" - declara Percival, no alto de seus 85 anos bem vividos. Não duvide de alguém que passa a vida a projetar móveis, imóveis e automóveis. A força criativa é a mais próspera de todas.

Veja também:

Galeria 2019: Lafer

Lafer além do MP

A Lafer completa 90 anos de fundação

Percival Lafer ingressa no Hall da Fama Autoesporte

Vivalendo.com recomenda: