Livro do MP Lafer ganha versão digital

O livro digital do MP Lafer será vendido pela Amazon do Brasil.
O livro digital do MP Lafer será vendido pela Amazon do Brasil.

Lançado como versão impressa numa produção independente em 2012, o projeto editorial chega ao ambiente dos e-books com uma nova diagramação.

Por Jean Tosetto

Quando escritores independentes lançam livros ou novas edições, eles sentem um misto de cansaço e satisfação. No meu caso, minha musculatura tensionada parece pesar mais, porém estou com o espírito aliviado. Parece que estou revivendo aqueles dias luminosos da primavera de 2012, quando o livro "MP Lafer: a recriação de um ícone" foi apresentado na sede do Instituto de Arquitetos do Brasil em São Paulo.

Agora, vendo em perspectiva, posso garantir que este livro foi escrito na época certa. Se esperasse mais um ano para escrevê-lo, não teria conseguido, pois meu escritório de Arquitetura não teria dado brechas para fazer outra coisa, salvo desenvolver projetos. Se esperasse dois anos, dificilmente teria alocado o valor de um Renault Sandero zero km na gráfica. 2014 foi o começo da pior recessão da república brasileira.

A despeito disso, o livro do MP Lafer vem construindo uma linda trajetória: foi distribuído em todo o território nacional, do Rio Grande do Sul até o Pará, além de 15 países em quatro continentes. Onde tem um entusiasta do MP Lafer, tem um livro do carro por perto, não importa o idioma: Alemanha, Itália, Estados Unidos, Canadá, Malásia, Japão... Minhas palavras chegarem em lugares que nunca fui pessoalmente.

A segunda edição, concebida como e-book, ganhou diagramação específica para valorizar as imagens em formatos distintos.
A segunda edição, concebida como e-book, ganhou diagramação específica para valorizar as imagens em formatos distintos.

Já me disseram que este livro era um capricho da minha parte, num tom de voz pejorativo. Mas o destino respondeu por mim de forma bem caprichosa: o livro do MP Lafer me rendeu o convite para escrever outro livro, "Arquiteto 1.0", em parceria com o professor Ênio Padilha. E quando o livro do MP caiu nas mãos do Tiago Reis, fundador da Suno Research, a brincadeira ficou séria e bem profissional: ele me convocou para ser colaborador da empresa. Entrei para o mercado financeiro.

Desde então, eu e o Tiago já lançamos dois livros: o campeão de vendas no segmento de finanças investimentos da Amazon, Guia Suno Dividendos; e também o Guia Suno de Contabilidade para Investidores, igualmente bem avaliado pelos leitores.

A parceria com a Suno está sendo tão produtiva que pela primeira vez fui editor de outros autores para lançar o Guia Suno Fundos Imobiliários, dos genais Marcos Baroni e Danilo Bastos.

Sinceramente, se eu fosse você leria todos eles. São livros com educação financeira concentrada na veia, para ajudar no planejamento da plena aposentadoria no longo prazo.

O Guia Suno Dividendos foi lançado como e-book em 2017, mas já ganhou versão impressa pela Editora CLA em 2018. Os outros livros da Suno devem fazer o mesmo caminho, mas as versões digitais vieram para ficar. Por isso o Tiago Reis me incentivou a levar o livro do MP Lafer para a loja da Amazon.

Das 168 páginas em formato A4 com duas colunas da versão impressa, para 322 páginas em formato A5 com uma coluna de texto: um tijolinho virtual.
Das 168 páginas em formato A4 com duas colunas da versão impressa, para 322 páginas em formato A5 com uma coluna de texto: um tijolinho virtual.

Pensei no grande trabalho que isso daria e fui protelando o projeto da segunda edição. Teria que fazer muitas coisas: revisar o texto novamente, refazer a diagramação, aprender a migrar os arquivos para a plataforma de publicação no Kindle, elaborar um índice virtual - coisas que a equipe da Suno sempre fez por mim, mas que agora teria que fazer sozinho.

Então veio o lançamento do livro "Percival Lafer: Design, indústria e mercado". Tive a honra de ver a menção do livro do MP Lafer nele. Olhei para o estoque dos exemplares, já na reserva, e pensei: "A história da recriação de um ícone não pode acabar com o último exemplar impresso vendido, tenho que garantir a sua continuidade."

E aqui vai uma confissão: não tenho planos para fazer uma terceira tiragem do livro no curto prazo. Sim, eu encomendei duas tiragens anteriormente, mas os custos com os Correios estão crescentes e o valor total de cada exemplar está cada vez mais proibitivo. A solução seria deixar uma editora de porte assumir o livro e cuidar da distribuição, mas enquanto isso não se concretiza, resolvi democratizar o acesso ao livro através da versão digital, a ser vendida num preço bastante razoável.

Então, o trabalho noturno e de fim de semana recomeçou, preservando os dois turnos diários dedicados para a Suno e para o escritório de Arquitetura. Reli cada linha do texto original e fiz pequenas melhorias, sem alterar o teor da mensagem. Desenvolvi uma nova diagramação, mais adequada para o formato eletrônico: no lugar das duas colunas de textos em grandes páginas do padrão A4, optei pelo padrão reduzido A5 com apenas uma coluna. Com isso, o livro que tinha 168 páginas impressas grandes, passou para 322 páginas eletrônicas, proporcionando uma leitura mais fluída em telas de smartphones e tablets.

Optei por manter o conteúdo original. Poderia ter acrescentado algumas imagens e um capítulo, mas prefiro deixar esta ampliação mais para frente, conforme novos acontecimentos possam ser considerados para completar a trajetória do carro, lembrando que os exemplares físicos remanescentes do livro ainda estão disponíveis para encomenda.

Desta vez não haverá evento de lançamento. O livro do MP Lafer já está na loja virtual da Amazon, que disponibilizou os primeiros 10% dele para degustação: são 32 páginas para ler de graça! Agora ninguém mais tem desculpa para não ler um pouco de uma história tão bonita.


Veja também:

Almoço do Clube do MP em Santa de Parnaíba - 2018

Quando o fotógrafo acerta no veio precioso da mina.
Quando o fotógrafo acerta no veio precioso da mina.

A Croácia quase ganhou a Copa da Rússia e um torcedor do Palmeiras foi eleito presidente do Brasil. "Os tempos estão mudando" - diria Bob Dylan. Mas o prestígio do MP Lafer segue em ascendência. Nem ponte quebrada e nem alagamento de pista segura este bravo conversível.

Por Gilberto Martines

Como já virou tradição com o findar do ano, o Clube MP Lafer Brasil promove um almoço de confraternização. No mês de novembro é enviado por e-mail aos associados uma mensagem com o convite para participar do nosso evento, convite este também publicado no site mplafer.net

É escolhida uma data sempre perto do primeiro final de semana de dezembro. Neste ano o destino foi a cidade de Santana de Parnaíba, mais precisamente no centro histórico. Esta cidade é bem próximo de São Paulo, distante aproximadamente 45 quilômetros do centro da capital.

Considerada o primeiro ponto de parada dos bandeirantes, a cidade preserva seu patrimônio histórico com as construções coloniais: são mais de 200 edificações tombadas em 1982, tornando-se assim um lugar bastante pitoresco.

A praça da Igreja Matriz de Santana de Parnaíba foi restaurada recentemente.
A praça da Igreja Matriz de Santana de Parnaíba foi restaurada recentemente.

Vamos relatar um pouco do que ocorreu para aqueles que não puderam participar. A data escolhida  01 de dezembro de 2018, um sábado. O ponto de encontro foi o Posto Graal da Rodovia Presidente Castelo Branco no km 30, com previsão de partida às 11 horas.

A previsão do tempo era de chuva e na sexta-feira de noite choveu muito em São Paulo, provocando alagamento em vários pontos da cidade, inclusive nas rodovias marginais dos rios Tietê e Pinheiros, que são os principais acessos para a Rodovia Castelo Branco. Isso fez com que muita gente deixasse de ir ao almoço.

O sábado amanheceu meio nublado, porém não me intimidei muito com o tempo. Por volta das 9:35 horas peguei o MP e fomos para o local do encontro. Ao entrar na marginal Tietê o trânsito estava caótico, decorrente da chuva da noite de sexta-feira.

Pedi para a Cláudia, minha esposa, contactar o presidente Walter Arruda e retardar um pouco a saída, pois estava tudo parado.

Chegamos ao Graal às 11 horas e aguardamos mais 45 minutos para sair. Todos esses motivos fizeram com que muitos membros do Clube fossem ao almoço com seus carros de uso diário e um pouco mais de 15 MPs pegaram a estrada.

Dois MPs estacionados no Posto Graal.
Dois MPs estacionados no Posto Graal.

A turma de vermelho do Clube do MP, antes da largada do breve passeio.
A turma de vermelho do Clube do MP, antes da largada do breve passeio.

Saímos do posto, pegamos a rodovia e logo saímos com direção para Aldeia da Serra. Subimos uma pequena serra, atravessamos um condomínio e logo chegamos ao nosso destino.

Os carros contornam a Aldeia da Serra, entre a Castelo Branco e o destino do passeio.
Os carros contornam a Aldeia da Serra, entre a Castelo Branco e o destino do passeio.

Nosso grupo já participou de vários encontros de carros antigos em Santana de Parnaíba. Porém, está é a primeira vez que o Clube do MP Lafer faz um evento exclusivo da marca nessa cidade. O restaurante escolhido foi o tradicional São Paulo Antigo, famoso pelo seu leitão a pururuca.

Foi reservado um local para estacionarmos os carros, próximo à Igreja Matriz. O tempo ajudou muito e não choveu.

Construções do tempo do Brasil Colônia cercam os conversíveis da Lafer.
Construções do tempo do Brasil Colônia cercam os conversíveis da Lafer.

Fiações elétricas aéreas interferem na arquitetura vernacular do charmoso largo.
Fiações elétricas aéreas interferem na arquitetura vernacular do charmoso largo.

O almoço  estava muito gostoso, agradável e descontraído. Contamos com a presença do nosso  diretor Romeu Nardini, que veio de Andradina, cidade paulista perto da divisa com Mato Grosso do Sul, para participar do encontro, prestigiando também a presença do Percival Lafer, na semana em que ingressou no Hall da Fama do Automobilismo do Brasil, uma honraria concedida pela importante revista Autoesporte.

O puxado do puxado (seria "repuxado") do restaurante São Paulo Antigo. Comida caipira em local autenticamente rústico.
O puxado do puxado (seria um"repuxado"?) do restaurante São Paulo Antigo. Comida caipira em local autenticamente rústico.

Percival Lafer, Romeu Nardini, Walter Arruda e Luiz Paulo Zotti.
Percival Lafer, Romeu Nardini, Walter Arruda e Luiz Paulo Zotti.

Ao final do almoço,  os senhores Walter, Romeu e Percival fizeram um pequeno agradecimento a todos. Quero deixar aqui meus agradecimentos e desejar boas festas a todos amigos laferistas do Brasil.

Veja também:


Vivalendo.com recomenda:

Percival Lafer ingressa no Hall da Fama Autoesporte


Há tempo para tudo debaixo do sol: tempo para plantar, tempo para colher e tempo para começar tudo de novo. Quando o reconhecimento vem, ele atua como estímulo para seguir em frente, espalhando novas sementes e novos ideais. Parabéns, Percival, pela colheita inspiradora.

Por Gilberto Martines

Ontem (26 de novembro de 2018) tive a oportunidade de participar de um dos mais importantes eventos da indústria automobilística do Brasil. Trata-se da premiação do carro do ano da revista  Autoesporte. O evento foi realizado no Buffet França da Avenida Angélica em São Paulo.

Na sexta feira, dia 23 de novembro último, o Senhor Júlio Cabral, um dos responsáveis pela revista e pelo evento, entrou em contato com o Walter Arruda, presidente do Clube do MP Lafer Brasil, convidando para representar a entidade com um MP Lafer para abrilhantar o evento, pois junto com a premiação eles iriam fazer uma homenagem ao Senhor Percival Lafer.

O Walter solicitou que eu representasse o nosso time.

Entraram em contato o Senhor Júlio e a Senhorita Verusca, e me passaram as coordenadas do evento. Meu carro ficou exposto na entrada do Buffet. Eu e minha mulher fomos muito bem recebidos pela equipe da revista.

Por volta das 19:30 horas o Senhor Percival chegou ao evento e com ele estavam sua mulher Dona Branca, uma de suas filhas e dois genros. Ficamos todos na mesma mesa. Foi servido um coquetel de entrada e durante o jantar foram feitas as premiações.

Percival Lafer atende jornalista da Revista Autoesporte.
Percival Lafer atende jornalista da Revista Autoesporte.

Momento "Caras" no site mplafer.net - só faltou o Amaury Jr.
Momento "Caras" no site mplafer.net - só faltou o Amaury Jr.

Os premiados da noite reunidos pela Revista Autoesporte.
Os premiados da noite reunidos pela Revista Autoesporte.

O troféu na mão de Percival Lafer, ao lado de um grande entusiasta do MP: Gilberto Martines.
O troféu na mão de Percival Lafer, ao lado de um grande entusiasta do MP: Gilberto Martines.

Percival & Branca Lafer diante do conversível que leva o mesmo nome da família.
Percival & Branca Lafer diante do conversível que leva o mesmo nome da família.

O Senhor Percival foi homenageado e contemplado com um troféu na categoria de Hall da Fama. Foi uma noite muito agradável e descontraída.

Quero deixar aqui o meus parabéns ao Senhor Percival pelo troféu e pelo reconhecimento da criação  desse carro que ele idealizou, que foi e ainda continua sendo um desejo de muitos e uma realidade para poucos.

Aproveito também para parabenizar e agradecer toda a equipe da Autoesporte.

No final o Volkswagen Virtus foi eleito o carro do ano de 2019.

Veja também:


Vivalendo recomenda:

Lafer além do MP

Livro percorre a vida e a carreira de Percival Lafer.
Livro percorre a vida e a carreira de Percival Lafer.

Projetar é um verbo ligado diretamente ao que ainda pode acontecer, o que explica a dificuldade de contar, em livro, a trajetória de alguém que passa a vida compromissado com o futuro, muito mais interessante do que aquilo que já se consumou. Mas o passado também é importante e merece ser registrado, especialmente quando inspira aqueles que ainda tem muito a caminhar.

Na história da música popular internacional há pelo menos dois álbuns de bandas famosas que levaram anos para chegar ao lançamento, sendo aguardado com muita expectativa pelos mais entusiastas. O primeiro deles é "Smile" dos Beach Boys, gravado entre 1966 e 1967 e abortado naquele ano, pois Brian Wilson, o gênio criativo do conjunto, era perfeccionista demais. Este disco só chegou ao público oficialmente em 2011, na comemoração de meio século de fundação da trupe.

O segundo álbum que destacamos é "Chinese Democracy" do Guns N' Roses, apresentado ao mundo somente em 2008, depois de ser anunciado que estava em gravação ainda em 1996. Neste período, o vocalista Axel Rose se desentendeu com o guitarrista Slash e a guerra de egos só teve trégua em 2016, quando ambos voltaram a tocar juntos num palco.

O livro de Percival Lafer foi lançado numa concorrida noite de autógrafos na Livraria da Vila no Shopping Iguatemi JK em São Paulo, em novembro de 2018. Ficamos mais de uma hora na fila para pedir uma dedicatória em nosso exemplar. Mas a espera, nos dois sentidos, valeu a pena, pois o livro começou a ser escrito no começo de 2006, mais de doze anos antes de ser publicado.

Naquela época Percival estava prestes a completar 70 anos de idade e suas filhas - Betina, Adriana e Paula - resolveram procurar a agência de comunicação de Renata Golombek para desenvolver uma homenagem em forma de livro, que pudesse transitar por todas as frentes de trabalho do pai, arquiteto, designer e empresário.

Obviamente não houve tempo hábil para concluir os trabalhos até o aniversário de Percival, no mês de abril. Havia muita informação para ser levantada e o arquivo de imagens da Lafer não estava devidamente organizado para facilitar a tarefa. Muitas fotografias estavam envelhecidas e necessitavam de restauração. Além disso, o próprio Percival permanecia focado em seu trabalho, reticente quanto a mergulhar em memórias do passado. Ele sempre olhou para o futuro.

Pessoalmente, testemunhei esta resistência de Percival em relembrar fatos durante 2012, quando estava escrevendo o que seria o livro "MP Lafer: a recriação de um ícone". Fiz um trabalho de pesquisa paralelo, consultando arquivos digitais de grandes jornais e revistas nacionais, até encontrar o fio da meada para contar a história não apenas do carro, mas também da empresa fundada por Benjamin Lafer em 1927.

Somente após enviar o material que já havia reunido, recebi a devida atenção de Percival Lafer. Então, com o auxílio de João Bauman, ele me enviou uma série de arquivos que enriqueceram de modo determinante o nosso projeto literário, do qual Percival tomou parte fundamental, tendo a insistente elegância de recusar a coautoria. "Generoso" poderia ser o seu nome do meio.

As principais criações do designer em seu principal campo de atividade, os móveis, estão comentadas no livro.
As principais criações do designer em seu principal campo de atividade, os móveis, estão comentadas no livro.

O MP Lafer e o Lafer LL ganharam páginas de destaque na obra.
O MP Lafer e o Lafer LL ganharam páginas de destaque na obra.

Percival Lafer também desenvolveu projetos de Arquitetura Residencial e Comercial.
Percival Lafer também desenvolveu projetos de Arquitetura Residencial e Comercial.

Paralelamente, seu livro caminhava entre idas e vindas. A retomada desta iniciativa ocorreu de forma decisiva na proximidade do aniversário de 80 anos do arquiteto, e ganhou conformação final quando a Editora Olhares, especializada em Arquitetura, Design e Fotografia, assumiu a condução dos trabalhos, após um evento chave chamar a atenção: a retrospectiva da carreira de Percival Lafer organizada pela Loja Teo em agosto de 2017.

O profissional Jayme Vargas foi escalado para conduzir a redação definitiva do livro. Dono de uma escrita refinada e sem arestas, como os móveis de Percival, ele conseguiu atingir o que era desejado pelas filhas do designer: manter-se como narrador oculto para revelar mais a personalidade do pai do que a própria - algo que um poeta teria muita dificuldade de entregar.

"Percival Lafer: Design, Indústria e Mercado" é um objeto de arte em si mesmo. Possui 204 páginas em formato com 21,5 × 25,5 cm, ricamente ilustradas com os móveis da Lafer, os carros esportivos que tanto amamos e parte das edificações projetadas pelo homenageado, que bem poderia ser discípulo de Frank Lloyd Wright. A obra conta com prefácio de Mina Warchavchik e textos disponíveis em português e inglês.

A capa dura, de fino acabamento, chama a atenção pela simplicidade não simplória. O título é disposto sobre fundo azul royal com letras estilizadas e seccionadas. Partes distintas das letras são repetidas intercaladamente em frases desconexas, gravadas em baixo relevo, lembrando a escrita cuneiforme encontrada por arqueólogos no Oriente Médio, em placas de argila, após milênios de história, revelando o desejo do livro em simbolizar o legado de uma carreira que se aproxima dos 60 anos de intensa dedicação, sem previsão para se encerrar.

Depois de doze anos de trajetória, finalmente o perfeccionista Percival Lafer ganha um livro que faz jus ao universo por ele criado. Alguns de seus móveis ficaram em desenvolvimento por mais tempo, antes de entrarem em produção seriada para o mercado. Por isso eles duram uma vida inteira e ainda são cobiçados objetos de herança.

Veja também:

A Lafer completa 90 anos de fundação

Vivalendo.com recomenda:






Uma publicação compartilhada por Jean Tosetto (@jeantosetto) em

Clube MP Lafer Brasil convida:

Atenção para as festividades de fim de ano!
Atenção para as festividades de fim de ano!

Clube MP Lafer Brasil
Almoço de Confraternização de 2018

Caro amigo laferista,

O fim de ano está aí.

Mais uma vez, faremos nosso almoço de confraternização, para o qual você e sua família estão convidados a participar no dia 01 de dezembro de 2018 (sábado), com saída na Rodovia Castelo Branco, km 30 – Posto Graal, às 11:00 horas.

Destino: “Restaurante São Paulo Antigo” – Santana de Parnaíba. Preço por pessoa: R$ 53,80, fora bebidas, com taxa opcional de 10% de serviços.

Será uma ótima oportunidade para colocar nossos carros novamente na estrada e reencontrar os amigos.

Não se esqueça de ir uniformizado.

Se não der para ir com o MP, vá mesmo assim.

O importante é nos encontrarmos.

Até lá,

Walter Barboza Arruda – Presidente – (11) 9.7122.6260 - walter.mplafer@uol.com.br

Romeu Nardini – Diretor - (11) 9.9154.4536 - meco98@uol.com.br



Itapecerica da Serra 2017

Percival Lafer lança livro sobre sua obra

Convite para o lançamento do livro sobre Percival Lafer
Clique na imagem para ampliar.

Os entusiastas do MP Lafer conhecem o empresário Percival Lafer em função da fabricação do modelo esportivo de linhas clássicas entre 1974 e 1990. Porém, formado em Arquitetura pelo Mackenzie, ele desenvolve uma carreira sem paralelos no Design de Móveis desde a década de 1960.

Por iniciativa de suas filhas - Betina, Adriana e Paula Lafer - finalmente teremos a oportunidade de conhecer, em forma de livro, algumas de suas principais criações que englobam o desenho inteligente com a eficiência mercadológica e industrial, numa atividade ininterrupta geradora de empregos, oportunidades e divisas para o Brasil, revelando o lado empreendedor do sócio criativo da Lafer.

O livro é um trabalho da Editora Olhares, desenvolvido a partir de depoimentos do próprio Percival. O lançamento ocorrerá no dia 07 de novembro de 2018, na Livraria da Vila, no segundo piso do Shopping JK Iguatemi em São Paulo, na Avenida Presidente Juscelino Kubitschek, 2041, Itaim Bibi, entre 18:30 e 22 horas.

Veja também:

Galeria 2018: Heinzelmann

O MP Lafer 1976 com alguns componentes da versão TI, lançada em 1978, tal qual como desembarcou em Joinville.
O MP Lafer 1976 com alguns componentes da versão TI, lançada em 1978, tal qual como desembarcou em Joinville.

EM NOME DO PAI

O site mplafer.net é mantido de forma voluntária, assim como o Clube MP Lafer Brasil - seu próprio presidente, Walter Arruda, costuma dizer que "quando o dinheiro se mistura com a paixão, está armada a confusão".

Nós vendemos o livro do MP Lafer? Sim. O Clube do MP Lafer cobra uma taxa pelo serviço de avaliação de veículos para obtenção de placas pretas? Sim. Mas estes valores apenas cobrem parcialmente os custos para manter essa paixão pelo MP Lafer ativa.

Nossa principal remuneração é a satisfação de zelar pela memória do modelo esportivo de linhas clássicas e ajudar pessoas que também se interessam pelo conversível mais querido do Brasil. Na medida do possível nós atendemos a todos que nos escrevem: do garoto que acaba de receber o primeiro salário e sonha em comprar um MP Lafer para restaurar aos poucos, ao executivo de multinacional que deseja encontrar um exemplar impecável.

As histórias vão se acumulando em nossa caixa de entrada de e-mails e não temos tempo hábil para publica-las com a mesma velocidade que chegam. Então, aos poucos, vamos resgatando algumas mensagens que, por seu simbolismo, representam todas as demais.

Leia, por exemplo, esta sequência de mensagens que o Walter Arruda nos encaminhou, iniciada em 02 de dezembro de 2017 (o ano passou voando):

"Walter, bom dia.

Já há algum tempo, fiz contato contigo, logo após me tornar um dos felizes caras que todos os dias olha pra garagem e nela há um MP Lafer!

Assim já estou há cerca de quatro anos, e é só alegria, né?

O motivo deste e-mail é saber se vocês estão alimentando algum cadastro dos MPs sobreviventes. Caso positivo, gostaria de receber algum tipo de questionário ou formulário eletrônico a preencher, para que esse carro que aqui está seja também conhecido de vocês!

Aguardo retorno.

Abraços, bom final de semana,

Ivo Heinzelmann

Joinville - Santa Catarina"

A resposta do Walter, dois dias depois:

"Bom dia Ivo, tudo bem?

Parabéns por cultuar seu MP. Claro que temos cadastro de MP Lafer! Afinal, somos o Clube do carro mais charmoso do Brasil.

Alguns MPs realmente foram salvos de um possível cemitério de automóveis. Alguns renasceram para a eternidade através das mãos de verdadeiros apaixonados. Outros ficaram guardados durante muito tempo esperando a hora de se apresentarem.

Se quiser enviar as fotos para a nossa galeria, mande diretamente para o site abaixo.

Abraços,

Walter Barboza Arruda
Clube do MP Lafer do Brasil
Presidente
11-97122.6260
www.mplafer.net "

 Este MP Lafer possui escapamento Kadron e capota de vinil original de fábrica.
Este MP Lafer possui escapamento Kadron e capota de vinil original de fábrica.

Segue agora o lindo relato enviado pelo Ivo, junto com as imagens de seu MP Lafer:

"Walter, bom dia.

Bem, você vai ler agora uma loooonga história, e talvez, ao final, vai me crucificar, mas tudo bem, eu aguento.

Em agosto de 1969, meu falecido pai comprou um MG TD, 1953 (um dos últimos a serem fabricados, segundo a fábrica; o carro tinha chassis nº XPAG-TD2-22293, dos cerca de 30 mil MGs TD fabricados desde 1949 até 1953, quando entrou no final do ano, o MG TF).

O carro foi trazido de Curitiba, e iniciamos a reforma (não restauro, porque não havia dinheiro pra isso). Pintado de vermelhão da China, nos limitamos a colocar o carro em condições de andar, e o usamos até 1974, quando foi encostado por problemas no motor. Em 1976 mandei fazer o motor, mas nunca voltei a rodar com ele.O carro foi vendido de volta para um colecionador de Curitiba em 1996, e dali perdi o rastro do mesmo. Para mim, vender foi um alívio, pois honestamente me livrei de um carro com o qual eu saia rodando, sem ter certeza de conseguir voltar do mesmo jeito!

Todavia, ficou "piscando na cabeça uma luzinha" que havia sido acesa lá nos idos de 1976, quando vi numa revista, uma foto de um MP laranja... passei a pensar: "um dia vou ter um desses, pois tem a beleza do MG, e nenhum dos problemas dele!"

Em 2013 vendi um Maverick GT V8 1973 (raríssimo nesse ano), paguei umas continhas e parti pra cima de um amigo que era dono desse MP que está aqui comigo hoje. O carro estava há muitos anos encostado, e a história que me foi passada foi a seguinte : o primeiro dono, em São Paulo, comprou o carro para a mulher; o carro era da cor dourado palha metálico e o cara resolveu pintar de branco.

Sinceramente, nunca vi um trabalho de pintura tão mal feito; dá a impressão de que foi pintado com vassoura de piaçava. Além disso, o cara arrancou os para-choques originais, trocando-os pelos para-choques do TI. Além disso, trocou os faróis de milha redondos, pelos retangulares que aparecem na foto.

O carro veio pra casa e comecei o trabalho de limpeza, pois ninho de rato era o que mais tinha. Quando ele estava menos sujo, levei para a oficina, sempre de guincho. Lá foi colocado sobre cavaletes e começou a restauração mecânica: revisão de freios, rolamentos, articuladores e terminais.

O motor foi parcialmente desmontado, tendo sido trocadas as bronzinas de bielas e os anéis, pois o carro tinha 53.608 km originais! Carenagens do motor pintadas, escapamento pintado com tinta à prova de calor, tudo em ordem, trouxe ele pra casa, rodando... e quase um susto: os pneus traseiros se desintegraram!

Pneus ressecados por falta de uso são mais perigosos que pneus desgastados pelo uso constante.
Pneus ressecados por falta de uso são mais perigosos que pneus desgastados pelo uso constante.

Um jogo de pneus novos, e vamos rodar com o carrinho!

A compra foi em 2013 e hoje ele tem 56.933 km no hodômetro, o que mostra que rodei muito pouco com ele. À exceção da troca dos para-choques e dos faróis de milha, o estou mantendo da forma que o recebi. O vinil da capota ainda é original e, tão logo seja possível, vou desmontar e mandar cromar os faróis e a tampa do "radiador" na frente.

Dos detalhes originais, a únicas coisas danificadas são as borrachas que existem naquela "viga" cromada que desce do teto até o corpo do carro, e que serve de vedação para o vidro da porta.

O carro é do ano de fabricação 1976, sendo que o motor é numbers matching, ou seja, ainda é o original.

Bem, Walter, era o que eu tinha a comentar. Se você quiser saber algo mais, é só avisar!

Um abração, boa semana.

Ivo Heinzelmann"

Mais um MP Lafer resgatado e retomando suas características originais, graças ao empenho de um entusiasta.
Mais um MP Lafer resgatado e retomando suas características originais, graças ao empenho de um entusiasta.


Veja também: