Desencontros: de Águas para Vinhedo

A praça central de Águas de Lindóia é um belo palco para autos especiais.
A praça central de Águas de Lindóia é um belo palco para autos especiais.

Os organizadores dos encontros de carros antigos de Águas de Lindóia e Vinhedo merecem todos os elogios, mas será que eles precisam insistir na mesma data?

Por Jean Tosetto *

Durante mais de uma década o encontro paulista de autos antigos foi realizado com sucesso de público e crítica na cidade de Águas de Lindóia. Seus organizadores resolveram respirar outros ares em 2014, levando o evento para Campos do Jordão. Como a prefeitura de Águas de Lindóia não queria perder o encontro em seu calendário, resolveram dar espaço para outros organizadores preparar o que seria um evento de porte nacional, e que se revelou promissor.

Este MG TD 1952 estava disponível para venda.
Este MG TD 1952 estava disponível para venda.

Nasceu, então, uma espécie de rivalidade que se repetiu no ano seguinte: um grande encontro de carros antigos se realizou em 2015 em Águas de Lindóia e poucos dias depois Campos do Jordão também teve sua festa. O auge dessa disputa velada - e desnecessária - aconteceu em 2016: as duas equipes organizadoras resolveram promover seus eventos no mesmo fim de semana prolongado, entre 21 e 24 de abril, quando a cidade de Vinhedo entrou no lugar de Campos do Jordão.

Para nós não cabe tomar posição para este ou aquele lado. Nós torcemos, sinceramente, pelo fortalecimento da cultura antigomobilista em geral, que a cada ano aumenta a rede de colecionadores que sustentam mecânicos, restauradores, estofadores, eletricistas, importadores e comerciantes de artigos correlatos.

O MG TC foi produzido entre 1946 e 1949.
O MG TC foi produzido entre 1946 e 1949.

Não somos contra a cobrança de inscrição para participação com carros nestes eventos que movimentam o turismo nas cidades que os acolhem. Restaurantes, hotéis e lojas em geral também ganham com isso. É válido que o espaço para o mercado de pulgas nestes eventos seja cobrado, embora sejam atividades exercidas em locais públicos. Organizar eventos do porte dos encontros paulistas e nacionais dá muito trabalho, mas cabe afirmar que esta é uma iniciativa muito rentável, ao menos nestes casos específicos.

Por isso, era de se esperar que as duas organizações tivessem o bom senso de não bater de frente uma com a outra. Ao marcar dois dos maiores encontros brasileiros de autos antigos na mesma data, os organizadores acabaram dividindo a atenção de colecionadores, do público e dos lojistas, dado que nem todos tem condições de formar duas turmas para prestigiar dois eventos simultaneamente.

O parque da Festa da Uva de Vinhedo emprestou seu charme para os carros antigos.
O parque da Festa da Uva de Vinhedo emprestou seu charme para os carros antigos.

É curioso notar que a imprensa especializada no tema do antigomobilismo não toca incisivamente neste assunto. Jornalistas e blogueiros que cobrem estes eventos são gente polida demais para se indispor com este ou aquele promotor de eventos. Como nós estamos vendo esta situação de fora, não temos problema algum em cutucar o tema. Também não temos procuração de ninguém para defender este ou aquele. Repetimos: queremos o bem da cultura da qual fazemos parte, através do site mplafer.net

Tanto Águas de Lindóia como Vinhedo ficam na região de Campinas. Primando pela imparcialidade, resolvemos visitar os dois eventos no mesmo dia. De manhã fomos para o circuito das águas e de tarde descemos para a metrópole campineira. Vamos abrir mão de tentar eleger o melhor encontro: a questão principal não é esta.

Este Triumph TR3 de 1959 remete ao filme "La Dolce Vita".
Este Triumph TR3 de 1959 remete ao filme "La Dolce Vita".

O que se viu na sexta-feira, dia 22 de abril, foram dois eventos de primeira grandeza: belos e raros carros antigos e especiais, clima agradável, pessoas atenciosas, ambientes descontraídos e paisagens exuberantes. O verde misturado com os cromados tinha cheiro de saudade trazida por gente de todo o Brasil e de países vizinhos. Não teríamos, mesmo, como eleger um evento que fosse melhor que o outro.

O que nos cabe é colaborar. Nossa sugestão, para os distintos promotores dos encontros de autos antigos de Águas de Lindóia e Vinhedo, é que eles se entendam para fazer um evento em cada semestre. Deste modo, por exemplo, teríamos um grande evento em abril e seis meses depois, em outubro, outro grande evento. O Estado de São Paulo comporta perfeitamente os dois encontros, que poderiam concentrar, novamente, o interesse de todos.

O MG TF Avallone estaciona ao lado de um Jaguar.
O MG TF Avallone estaciona ao lado de um Jaguar.

Será que a FBVA - Federação Brasileira de Veículos Antigos - ainda não pensou nisso, ou não quer interferir? Que outra associação teria autoridade para ordenar um calendário nacional neste sentido? Boas perguntas. Quem sabe, no ano que vem, teremos as respostas.

* Jean Tosetto é arquiteto desde 1999 e editor do site mplafer.net desde 2001. É também autor do livro “MP Lafer: a recriação de um ícone” - lançado em 2012.


Veja também:

Colorido e história na Praça Vitória Régia

O Jornal da Cidade de Holambra, em sua edição 1095, de 22 de abril de 2016, dedicou duas páginas para o passeio do MP Lafer realizado na Estância Turística. Clique nas imagens abaixo para ampliar, ou acesse a seguir, a versão eletrônica da publicação.

Jornal da Cidade de Holambra, edição 1095, página 14.

Jornal da Cidade de Holambra, edição 1095, página 15.


MPs em Holambra 2016

Holambra 2016 por Gilberto Martines

Reunião no posto de combustíveis, logo cedo.
Reunião no posto de combustíveis, logo cedo.

Estou enviando fotos e o relato do 20° Passeio do Clube MP Lafer Brasil. Este ano completamos 19 anos da fundação da nossa agremiação e a cidade escolhida como destino foi Holambra, no interior de São Paulo. Conhecida como a “Capital Nacional das Flores”, é responsável pela maior produção de flores e plantas ornamentais, isso faz de Holambra a principal cidade exportadora de flores da América Latina.

Holambra foi fundada por uma comunidade mista de brasileiros e imigrantes holandeses, mantendo as tradições trazidas pelos colonos europeus. Podemos observar isso na arquitetura colonial holandesa na região central da cidade. Apesar de estar apenas 140 km da região metropolitana de São Paulo, Holambra é uma cidade repleta de lagos e muitas áreas verdes, trazendo para o visitante muita tranquilidade.

Vou relatar agora um pouco do que aconteceu no passeio para aqueles laferistas que não puderam comparecer ao encontro.

Sábado dia 16 de abril de 2016, manhã  ensolarada, dia de rever os amigos, colocar as nossas “baratas” na estrada, deixando o final de semana um pouco mais animado, pois nestes dias o cenário politico nacional está passando pelo processo de Impeachment  da Presidente do Brasil, na Câmara dos Deputados Federais. Isso causou em muitos laferistas uma certa inibição para usar o nosso uniforme vermelho, mas isso não inibiu a nossa alegria e a felicidade proporcionada pelo  passeio.

O ponto de encontro para saída foi o posto BR da Rodovia dos Bandeirantes no km 28.  Ao chegarmos lá fomos recebidos pelo Romeu Nardini e Walter Arruda, que entregavam a cada participante um mapa com o trajeto a perseguir até nosso destino.

Por volta de 10:30 horas partimos em direção a Holambra. No momento da partida fiz uma contagem de quantos MPs estavam presentes: 73 carros. Seguimos pela Rodovia dos Bandeirantes até o km 95, entramos na Rodovia Alberto Panzan até a saída 103-B, chegando à Rodovia Dom Pedro até a saída 135, acesso à Rodovia Adhemar de Barros até a saída 140, para Holambra.

Nas melhores rodovias brasileiras o pedágio não é barato.
Nas melhores rodovias brasileiras o pedágio não é barato.

Pelo trajeto, como sempre, os nossos carrinhos provocam o maior murmúrio  na estrada. Este ano achei que o buzinaço na praça dos pedágios foi menor, porém a alegria continuava estampada no rosto de todos.

Às 12:30 horas estávamos cruzando o portal de Holambra. Passamos pelo centro da cidade, pelo Boulevard Holandês e estacionamos os carros na Praça Vitória Régia, em frente ao lago. Os carros estacionados deixaram ainda mais linda a paisagem, misturando as cores diversas com o verde da natureza. Neste momento o nosso comboio contava com 92 carros.

O portal de Holambra avisa que a viagem de ida está acabando.
O portal de Holambra avisa que a viagem de ida está acabando.

Um breve descanso e seguimos até o restaurante, para o almoço merecido. O restaurante do Clube da Fazenda foi o escolhido pela maioria dos participantes, que tinha comida boa, com espaço suficiente para receber todos com conforto, música ao vivo, tudo muito agradável. Após o almoço, aproveitei para conhecer um museu localizado ao lado do restaurante.

Almoço no restaurante do Clube da Fazenda Ribeirão.
Almoço no restaurante do Clube da Fazenda Ribeirão.

Coleção de tratores antigos no museu holambrense.
Coleção de tratores antigos no museu holambrense.

Coleção de MPs na Praça Vitória Régia.
Coleção de MPs na Praça Vitória Régia.

Às 15:00 horas teve o início da nossa confraternização. Nossa caixa de som foi montada n sombra das arvores ao lado do “Deck do Amor”. O nosso presidente Walter fez uso da palavra para agradecer a Senhora Alessandra, do departamento de turismo da cidade, que ajudou na realização da nossa confraternização. Em seguida fizeram uso da palavra, Romeu Nardini e Jean Tosetto.

O Senhor Percival Lafer também estava presente e nesta semana ele completou 80 anos de vida. O clube o surpreendeu com um bolo de aniversário e um parabéns cantado por todos os laferistas presentes. Emocionado, o Senhor Percival agradeceu.

Os primos Lucas e Carol no para-lama de um MP Lafer.
Os primos Lucas e Carol no para-lama de um MP Lafer.

Percival Lafer, Romeu Nardini e Walter Arruda.
Percival Lafer, Romeu Nardini e Walter Arruda.

Após a confraternização cada um seguiu o seu roteiro. Alguns retornaram para São Paulo, muitos aproveitaram para pernoitar na cidade e desfrutar das belezas por ela oferecida, saboreando a culinária típica holandesa.

Os laferistas ficaram meio espalhados, alguns em hotéis e outros em pousadas. De noite fomos  jantar em um grupo  no Boulevard, no restaurante Casa Bela. Após o jantar conversamos um pouco retornamos para o hotel para o descanso merecido.

No domingo após o café da manhã a maioria do pessoal resolveu retornar para São Paulo, pois estavam  preocupados com eventuais bloqueios nas estradas, em protestos relacionados com a atual conjuntura politica do país.

As fachadas das lojas em Holambra.
As fachadas das lojas em Holambra.

Agora gostaria de deixar meus agradecimentos aos amigos Walter e Romeu, que organizaram o passeio e parabenizar o Jean,  pela sugestão de Holambra para a realização do nosso passeio, obrigado e parabéns a todos vocês.

Abraço a todos os laferistas e até o almoço de final de ano.

MPs em Holambra 2016

MPs em Holambra 2016: os vídeos

MP Lafer cruza o Boulevard Holandês antes de chega na Praça Vitória Régia em Holambra.
MP Lafer cruza o Boulevard Holandês antes de chega na Praça Vitória Régia em Holambra.

O passeio do MP Lafer até Holambra não foi registrado apenas com fotografias. Recebemos vídeos bem elaborados que ajudarão a contar a história deste evento.

O primeiro vídeo foi encaminhado ao mplafer.net por Anibal Tosetto, de Paulínia. O sobrenome não é estranho para o leitor contumaz da página: ele é pai do editor do site, Jean Tosetto. Somos, portanto, suspeitos para elogiar a produção:


Logo em seguida recebemos o vídeo do Darci Fonseca, de Atibaia, que recentemente comprou seu MP Lafer décadas após ver o primeiro protótipo exposto no Salão do Automóvel de São Paulo em 1972. Ele captou os discursos proferidos no fim da festa:


Você tirou fotos ou fez algum vídeo sobre o passeio do MP Lafer até Holambra? Compartilhe conosco!

MPs em Holambra 2016

20º Passeio do MP Lafer - Holambra 2016

O ponto de largada para o passeio até Holambra foi o km 28 da Rodovia dos Bandeirantes.
O ponto de largada para o passeio até Holambra foi o km 28 da Rodovia dos Bandeirantes.

Neste ano tivemos a responsabilidade de pontear o comboio de MPs.
Neste ano tivemos a responsabilidade de pontear o comboio de MPs.

Minha filha está para completar apenas três anos de idade. Há algumas semanas levei ela num parque de diversões e pela primeira vez ela andou num carrossel. Como ela é pequena demais, minha esposa pediu que eu ficasse ao lado dela no cavalinho. Quando o carrossel começou a girar, embalado por luzes, cores e uma doce melodia, seus olhinhos começaram a brilhar, embarcando numa viagem rumo a um mundo encantado de fantasia.

Também fiz uma viagem, mas foi uma viagem de volta para a casa de meus pais, onde eu era feliz o tempo todo e tinha a sensação de que não me faltava nada, pois meus pais estavam lá para garantir que tudo desse certo. Os pais nunca falam isso para seus filhos. São os filhos que descobrem esse trato informal mantido por laços familiares, quando se tornam pais também. Vendo minha filha no carrossel, prometi a mim mesmo que faria a minha parte para que ela descobrisse, tarde demais, que este mundo não é necessariamente um lugar justo.

Como lidar com a inflação a 1% ao mês e ainda assim não deixar faltar nada para a Carol? Então lembrei que meus pais me educaram lidando com a inflação a 1% - ao dia. De pé, naquele carrossel, reconheci que meus pais fizeram muito por mim. Eles me acolheram. No lombo de um cavalinho de carrossel, nenhuma criança sente medo.

Lá vem eles. Lá vem os carros da Lafer!
Lá vem eles. Lá vem os carros da Lafer! *

Nas praças de pedágio, um respiro para recuperar a fila indiana.
Nas praças de pedágio, um respiro para recuperar a fila indiana. *

Desde então, cresci e já dirigi muitos carros. Curiosamente apenas um me trouxe a mesma sensação de acolhimento que um cavalinho de carrossel nos oferece. Você não precisa adivinhar: me refiro ao MP Lafer. Um olhar frio sobre ele revela que o conversível só é mais seguro do que uma moto. É um carro antigo, com as portas laterais cortadas ao meio, sem cinto de três pontos, sem freios ABS, sem airbag, sem santantônio.

E apesar de todos os alertas em contrário, você senta num MP Lafer e se sente seguro, pois é uma segurança que vem do acolhimento, como se o carro fosse projetado e construído especialmente para você, por seu pai. E se o MP Lafer tem um pai, ele atende pelo nome de Percival Lafer. Com a inflação a 1% - ao dia - na década de 1980, ele insistiu com os sócios da fábrica para manter a produção do veículo. Ele pagou um preço caríssimo para continuar ofertando um sonho para as pessoas. E não estou falando de dinheiro, mas de um preço emocional.

As capivaras de Holambra, indiferentes aos MPs estacionados na margem oposta do lago.
As capivaras de Holambra, indiferentes aos MPs estacionados na margem oposta do lago.

A linha de produção de boas recordações da Lafer.
A linha de produção de boas recordações da Lafer.

A Rua Primavera serviu de estacionamento para os conversíveis.
A Rua Primavera serviu de estacionamento para os conversíveis.

Em Holambra tem ciclovia, mas não tem conflito.
Em Holambra tem ciclovia, mas não tem conflito.

Nesta semana o pai do MP Lafer completou 80 anos de idade. Ele foi o grande convidado do 20º Passeio do Clube MP Lafer Brasil, que neste ano teve como destino a Estância Turística de Holambra, florida, colorida, cheia de luzes. Um lugar encantador que bem poderia ser o destino das viagens de carrossel. A diferença é que neste carrossel não viajamos em círculo, mas com uma rota traçada para o interior, saindo de São Paulo, saindo da vida chata e opressora para um lugar tranquilo e acolhedor.

Ao invés dos cavalinhos subindo e descendo, o que se vê são os carrinhos bailando entre as faixas da Rodovia dos Bandeirantes. E como em todo passeio de carrossel, não são apenas as crianças sobre os cavalinhos que se divertem e se encantam. Quem está do lado de fora assiste a festa com o mesmo entusiasmo, no caso sobre as boleias de caminhões, nos assentos dos ônibus, nos bancos dos outros carros, nos acostamentos das estradas, buzinando e acenando sem parar.

Festa de aniversário sem bolo não é festa. Então o Clube do MP Lafer ofereceu um grande bolo para Percival, nas margens do lago da Praça Vitória Régia em Holambra. Os convidados cantaram os parabéns. Estavam lá, para testemunhar o evento, uma filha de Lafer, dois genros e netos, entre dezenas de entusiastas do MP Lafer e autoridades municipais. Ao todo, 92 conversíveis foram reunidos neste dia memorável: 16 de abril de 2016.

Jean Tosetto, Percival Lafer, Romeu Nardini, Walter Arruda e Alessandra Caratti de Wit, do Departamento de Turismo de Holambra.
Jean Tosetto, Percival Lafer, Romeu Nardini, Walter Arruda e Alessandra Caratti de Wit, do Departamento de Turismo de Holambra.**

Percival Lafer nasceu em 12 de abril de 1936.
Percival Lafer nasceu em 12 de abril de 1936.

As vezes não temos a chance (ou não sabemos como) agradecer nossos pais - em verdade aqueles que nos criaram - por tudo que fizeram por nós. Nossa resposta mais efetiva é fazer o mesmo por quem vem depois de nós. Mas em Holambra tivemos a oportunidade de simbolizar tal gratidão para o grande responsável por estarmos reunidos ali, diante do arquiteto que desenhou as engrenagens que fazem girar um grande carrossel, composto não por cavalinhos, mas por máquinas de fazer gente grande sorrir.

Felicidade é guiar um MP Lafer em Holambra.
Felicidade é guiar um MP Lafer em Holambra.

Continua em 2017!

Por Jean Tosetto, com fotos de Leo Ambrosio (*) e Dani Manzan (**)

Veja também: