CAAT realiza seu primeiro passeio de MP Lafer no Vale do Paraíba

Carros alinhados para seguir viagem e encontrar outros companheiros.
Carros alinhados para seguir viagem e encontrar outros companheiros.

Por Jean Tosetto

O CAAT - Clube de Autos Antigos de Taubaté - realizou o primeiro passeio somente para veículos da marca Lafer no Vale do Paraíba, em 27 de novembro de 2016. A largada do passeio ocorreu pouco depois das dez horas da manhã, no último posto de combustíveis da Rodovia Carvalho Pinto, no sentido São Paulo a Taubaté, na divisa com o município de Caçapava.

Visual que sempre encanta quem participa de um evento como este.
Visual que sempre encanta quem participa de um evento como este.

Os participantes seguiram para Tremembé e depois para Santo Antônio do Pinhal, na região de Campos do Jordão, nos contrafortes da Serra da Mantiqueira, no Vale do Paraíba, estado de São Paulo. O clima estava muito agradável e os membros laferistas do CAAT puderam visitar atrações turísticas da região e almoçar no Restaurante Bodega.

Faróis acessos na estrada durante o dia: agora é lei no Brasil.
Faróis acessos na estrada durante o dia: agora é lei no Brasil.

Estivemos presentes somente no momento da largada, retornando para Caçapava logo em seguida, por razões familiares. Por isso, você confere mais fotos do evento no álbum do Paulo Guino, publicado no Facebook.

Veja também:

Galeria 2016: Fabri

O MP Lafer 1979 ao lado do Buick 1969.
O MP Lafer 1979 ao lado do Buick 1969.

TAL FILHO & TAL PAI

Em 28 de julho de 2016 o Filipe Fabri entrou em contato conosco para encomendar um exemplar do livro "MP Lafer: a recriação de um ícone" que ele queria dar de presente para seu pai, Ilmar, com uma dedicatória. Confira o recado:

"Na dedicatória, se possível coloque algo relativo ao fato de eu ter colocado 'ferrugem' na veia dele, pois devido a ele me ver com meu Buick nos encontros, que ele animou de ir comprar um, que foi uma aventura, viajamos 750 km e voltamos rodando do MP Lafer."

O MP Lafer 1979 foi comprado em Lins, no interior de São Paulo, e agora brilha nas ruas de Nova Lima, em Minas Gerais.

O conversível da esquerda é da escola europeia com um tempero brasileiro. Já o da direita ostenta o padrão americano em suas dimensões.
O conversível da esquerda é da escola europeia com um tempero brasileiro. Já o da direita ostenta o padrão americano em suas dimensões.

Pai e filho podem desfrutar de experiências distintas ao volante de dois conversíveis.
Pai e filho podem desfrutar de experiências distintas ao volante de dois conversíveis.

Veja também:

Uma crônica napolitana
Caravan SS: saudades do sul
MP Lafer - a primeira vez ninguém esquece


Meu carro é unplugged

Os carros atuais estão cada vez mais parecidos com smartphones que se locomovem: alguns até são carregados em tomadas. Mas com o MP Lafer isso não acontece. Ainda bem!

Os carros atuais estão cada vez mais parecidos com smartphones que se locomovem: alguns até são carregados em tomadas. Mas com o MP Lafer isso não acontece. Ainda bem!

- Você vai ao Salão do Automóvel de São Paulo neste ano?

- Não.

- Não?!

- Cara, há alguns anos visitei o Salão num dia de semana. Estava superlotado. Os carros de luxo e os esportivos estavam isolados do público e a gente nem conseguia chegar perto. Sempre tinha um elemento na frente, levantando os braços para tirar fotos. Não sei para quê tantas fotos. Nos carros comuns a gente até consegue experimentar o volante, mas para fazer isso prefiro ir numa concessionária, onde ainda servem o café de graça. O café do Salão é caríssimo. Prometi que só voltarei nele se apresentarem um disco voador.

- Mas tem coisas que a gente vê num Salão que levam alguns anos para chegar nas ruas, como por exemplo as novas pinturas acetinadas que compõem tramas com detalhes envelopados na carroceria do veículo.

- Sinceridade? Prefiro a pintura duco sobre fibra do meu carro, craquelada pelo tempo. É o tipo de efeito visual que não conseguem reproduzir nos modelos atuais. Tem gente que até enferruja a lataria de propósito, mas o efeito craquelado autêntico é insuperável. É como o rosto sem botox de uma dama de meia idade, cujo charme depende das rugas de expressão.

- Vi num programa de TV que a moda agora é usar estofamentos com a costura despontada...

- Moda? A moda é sempre passageira. Já viu a moda dirigindo carro, por acaso? Quem segue a moda vira passageiro também. Estofamento para mim nem precisa ser de couro: pode ser de courvin, de costura engraxada, cujo cheiro se mistura com o odor da gasolina que vem das frestas do painel de madeira e deixa a gente perfumado depois de uma viagem. Quem nunca botou suas narinas para experimentar isso não sabe o que é guiar de verdade.

- Você falou em painel de madeira. Mas você já viu os painéis dos lançamentos? Tem até telas de leds embutidas que mostram os mapas dos trajetos. Alguns carros já vem conectados de fábrica com um serviço de atendimento ao consumidor.

- Carro conectado? Estou fora. Meu carro é unplugged. Quando dirijo desligo o telefone e deixo no porta-luvas. Se minha esposa vai junto, peço para fazer o mesmo. Tem dias que quero sumir do mapa. Ir para algum lugar que só eu conheça, e que GPS nenhum consegue rastrear.

- Mas se acontecer algum imprevisto, o sistema do carro ajuda a central na localização, para mandar o socorro.

- E você pensa que eu quero ser encontrado? Quem precisa saber para onde fui? Sempre levo um alicate e um jogo de velas. É tudo que preciso para onde costumo ir. Gosto de descobrir o caminho no percurso mesmo. Não suporto ouvir aquelas telefonistas de aeroporto dizendo que preciso fazer uma curva para a direita dentro de 300 metros. Passei a infância inteira ouvindo dos meus pais o que tinha que fazer. Já estou crescidinho.

- E se der uma pane no sistema de injeção?

- Você está me gozando? Meu carro tem dois carburadores. Vou revelar um segredo: faço parte da seita dos carburadores. Nosso objetivo é acelerar o fim da civilização através do aquecimento global. O ecossistema do planeta vai se recuperar em poucas décadas assim que o último ser humano puxar o fio da tomada do último aparelho de ar condicionado.

- Você falou em tomada. No futuro os carros serão todos recarregados por tomadas elétricas.

- É, feito os smartphones. No futuro os aparelhos serão implantados em nossos organismos, para evitar os furtos. Até que chegará o dia em que também seremos recarregados através de tomadas, ao invés de usar a boca para comer em restaurantes. Falando nisso, esse filé de tilápia com alcaparras está sublime.

- Finalmente concordamos em alguma coisa!


O Editor Volante recomenda o livro do MP Lafer

O resgate de um MP Lafer

Mais um MP Lafer reformado pelos irmãos Martines.
Mais um MP Lafer reformado pelos irmãos Martines.

Os irmãos Martines resgatam mais um MP Lafer, comprado em condições razoáveis e restaurado com a devida dedicação para encontrar um novo dono.

Gilberto Martines escreve em 24 de julho de 2016:

"Estou enviando algumas fotos de mais um MP Lafer que eu e meu irmão compramos. Já faz uns dois meses que adquirimos o carro. Como você sabe, gostamos de comprar carros em bom estado de conservação, arrumamos da melhor forma possível e os revendemos.

Desta vez compramos um MP 1977 da cidade de Ponta Grossa (Paraná). O carro estava com o mesmo proprietário há uns 15 anos e foi pintado em duas cores - o que é conhecido entre nós como “pintura saia e blusa”, sendo o corpo na cor bege metálico claro e os para-lamas na cor marrom metálico, porem os para-lamas  apresentam algumas trincas na pintura.

Resolvemos então fazer o que seria preciso para deixar o carro do jeito que gostamos: mandei fazer uma revisão na parte elétrica e cromar os faróis. Troquei os três faróis de milha por faróis novos e cromados, carpetei o porta-malas, colocamos placa preta pelo Clube MP Lafer Brasil, troquei o tanque e o painel que já estavam apresentando alguns problemas em decorrência do tempo.

Quanto aos probleminhas na pintura, resolvemos fazer com o nosso amigo Toninho da Tony-Car. Porém, tivemos que esperar um pouco para o serviço ser realizado - apesar da crise econômica do país, a oficina do Tony está sempre cheia de carros. Isso é em decorrência ao seu ótimo trabalho, sempre correto, atencioso e caprichoso.

Sexta-feira passada, no dia 22 de julho,  deixei o carro para fazer a pintura no Toninho. Conversamos um pouco e depois ele me mostrou a nova fachada da oficina, que ele está melhorando: colocou um banner com um MP amarelo.

Essas fotos mostram como o carro está e assim que finalizarmos enviarei novas fotos, para ver como ficou."

A pintura em dois tons do MP Lafer 1977.
A pintura em dois tons do MP Lafer 1977.

Para-lamas riscados pedindo tratamento de beleza.
Para-lamas riscados pedindo tratamento de beleza.

A nova fachada da Tony-Car em São Bernardo do Campo.
A nova fachada da Tony-Car em São Bernardo do Campo.

Nova mensagem em 28 de agosto de 2016:

"Estou enviando mais fotos da reforminha do MP Lafer 1977 "saia e blusa".

No dia 30 de julho, sábado, fui até a oficina Tony-Car para acompanhar a reforma que programei para fazer no MP. Não é o primeiro carro que faço com o Toninho e a cada serviço que faço com ele fico mais admirado com o que ele faz nos carros.

Mesmo não estando com um carro fazendo serviço na oficina, costumo ir até São Bernardo do Campo para tomar um café com o amigo Toninho e aproveito para acompanhar os serviços que ele realiza nas “baratinhas”. Vejo carros que chegam do Brasil inteiro em estado lamentável e que saem como novos. Esta semana ele pintou um carro que pertence ao ex-jogador de futebol Neto.

Admiro o trabalho que ele faz após desmontar os carros, no chassi, assoalho, funilaria da fibra, pintura, montagem, cromação, novo chicote elétrico - tudo muito bem feito e com muito capricho.

Voltando ao meu carro, observei que ele já tinha feito as pequenas correções na fibra, funilaria, e aplicado o gel. Agora é necessário um período de alguns dias  para a cura  final desse gel, para então dar acabamento e pintar. Optamos por uma única cor, o bege mais claro. Serão pintados os para-lamas e a tampa do motor. Além da pintura optei por trocar o painel e colocar o envelope da capota.

Agora é aguardar e segurar a ansiedade para ver como vai ficar o serviço final."

O interior da oficina do Toninho, repleto de MPs.
O interior da oficina do Toninho, repleto de MPs.

A carroceria do MP do Neto recebe um trato.
A carroceria do MP do Neto recebe um trato.

Aplicação de gel no para-lama do MP do Giba.
Aplicação de gel no para-lama do MP do Giba.

Finalmente, naquela noite:

"No dia de agosto o Toninho me ligou para informar que havia terminado o serviço. No dia fui retirar o carro. Como já esperava, o trabalho ficou muito bom. O Toninho acertou a cor muito bem e mais uma vez fiquei muito satisfeito com o serviço realizado.

Fui pegar o carro com a minha mulher. Estava com muita pressa: foi o tempo de acertar o serviço realizado e retirar o carro. A sexta-feira estava ensolarada e deixei a oficina com a capota baixada.

Para retornar para São Paulo peguei a Rodovia dos Imigrantes. Estava curtindo muito a viagem de retorno. Minha mulher me seguia quando resolvi parar em um posto de gasolina para tomar um café. Parei o carro em frente a um poster de carros e motos, na cores preto e branco. Ao sair da loja de conveniências observei a harmonia do MP com o poster, gostei e tirei uma foto para recordar.

Segue mais algumas fotos para mostrar como ficou o serviço final. Gostaria de deixar meus agradecimentos ao Toninho e a sua equipe pelos serviços prestados, e um abraço aos amigos laferistas leitores do site."

O MP Lafer assim que saiu da oficina.
O MP Lafer assim que saiu da oficina.

A originalidade combinando com a beleza de um carro resgatado.
A originalidade combinando com a beleza de um carro resgatado.

Informamos aos amigos que este MP Lafer já tem um novo dono!

Veja também:

Clube MP Lafer Brasil convida:

Está chegando a hora de tirar a capa do MP Lafer.
Está chegando a hora de tirar a capa do MP Lafer.

Clube MP Lafer Brasil Almoço de Confraternização de 2016

Oi amigo Laferista,

O nosso convite é para você e sua família colocarem seu carro na estrada, curtir o vento no rosto, sentir o prazer de dirigí-lo e reencontrar os amigos.

O Almoço de Confraternização do nosso Clube está chegando.

Data: 03 de dezembro de 2015 (sábado).
Local de saída: Praça Charles Miller – Pacaembu (levar cartão da Zona Azul).
Horário de saída: 10:00 horas.
Local de destino: “Dr. Costela - Churrascaria” - Rodovia Regis Bittencourt, km. 293,5.
Prato: rodízio de carnes com ênfase na costela assada e buffet de saladas e outras guarnições.
Preço negociado: R$ 64,90 (homem) e R$ 54,90 (mulher), fora bebidas, fora sobremesa, mais taxa de 10% de serviços. O couvert artístico de R$ 8,00 é opcional.
Trajeto: Praça Charles Miller, subida da Avenida Pacaembu até a Avenida Doutor Arnaldo, Avenida Rebouças, Avenida Eusébio Matoso, Avenida Francisco Morato passando por Taboão da Serra, Rodovia Regis Bittencourt até o km. 293,5.

Não se esqueça de ir uniformizado.

Se não der para ir com o MP, vá mesmo assim. O importante é nos encontrarmos.

Até lá,

Walter Barboza Arruda – Presidente – (11) 9.7122.6260 - walter.mplafer@uol.com.br 
                         
Romeu Nardini – Diretor  - (11) 9.9154.4536 - meco98@uol.com.br

Antes de viajar, verifique!

Dirija com segurança para dirigir sempre

Itapecerica da Serra 2015

São Bernardo do Campo 2014

Convite do CAAT - Clube de Autos Antigos de Taubaté

Mais vale um MP Lafer na estrada do que dois repousando eternamente numa garagem.
Mais vale um MP Lafer na estrada do que dois repousando eternamente numa garagem.

Olá pessoal,

Talvez vocês estejam um pouco desanimados com o site mplafer.net - afinal de contas, a página sempre tinha uma novidade a cada semana ou dez dias. Ultimamente as atualizações estão mais espaçadas, com intervalos maiores do que uma quinzena.

É verdade, não estamos conseguindo publicar com a frequência que gostaríamos. Estamos com conteúdos interessantes na fila compartilhar com vocês, que são a razão de ser desta página. E também não vamos cair na cilada de publicar qualquer coisa só para manter o site ativo. Não precisamos disso, certo?

Posto isso, quero dividir com vocês um e-mail que recebi do Aldo Fusco, do CAAT - Clube de Autos Antigos de Taubaté. O CAAT é muito atuante no Vale do Paraíba e litoral norte de São Paulo e está se tornando, também, uma agremiação que reúne entusiastas do MP Lafer.

Para quem tem MP Lafer na Grande São Paulo, sul de Minas Gerais e mesmo no Rio de Janeiro, vale a pena reservar a data para curtir o carro na companhia de outros entusiastas.

Grande abraço,
Jean Tosetto

Segue a mensagem recebida em 29 de outubro de 2016:

"Caro Jean, boa tarde.

Numa reunião com os associados do CAAT vimos que temos entre nós, 10 MPs de vários anos, nenhum da mesma cor de outro, cada um mais bonito que o outro.

Daí surgiu a ideia de fazermos um passeio só com os Lafer , saindo de Taubaté e indo até Santo Antonio do Pinhal, na Serra da Mantiqueira, pela rodovia Floriano Rodrigues Pinheiro. 

Será no dia 27 de novembro e almoçaremos no Jardins dos Pinhais, local que já fizemos vários almoços do clube.

Será um prazer contar com sua presença e de outros laferistas. Se quiser divulgar, fique a vontade. 

Só peço que os que forem participar, enviem o nome e e-mail ou whatsApp para confirmação, até o dia 16 de novembro, prazo hábil para fazermos as reservas no restaurante. 

O custo da refeição correrá por conta de cada participante. 

Após o almoço, estamos planejando ir até a Bodega que fica nos arredores da cidade. Este passeio vai depender do horário que terminar o almoço, já que a Bodega fecha as 16:00 horas.

Também há a possibilidade de irmos primeiro até a Bodega e depois almoçarmos. Uns dias antes, defino o roteiro, inclusive com os horários.

Fica o convite e conto com os amigos neste passeio.

Um forte abraço.

Aldo"

Amigos, anotem o e-mail do CAAT para contato: caat1987@hotmail.com

Nova mensagem recebida em 21 de novembro de 2016:

"Caros Laferistas, 

Como havíamos combinado, será neste domingo, dia 27, nosso passeio de MP Lafer. 

O roteiro será o seguinte:
- 10:00 hs  -  saída do Posto Olá (Shell),  no começo da Carvalho Pinto em Taubaté, local onde fizemos a largada do rali deste ano
- 10:30 hs  -  chegada em Sto. Antonio do Pinhal, ondes estarão outros MPs
- 11:00 hs  -  Parada na "A Bodega"
- 11:30 hs  -  Retorno a Sto Antonio, ida ao Ecco Parque dos Pinhais
- 12:30 hs  -  almoço

O Ecco Parque dos Pinhais tem um jardim maravilhoso, cujo passeio, pago, é opcional. 
Caso queiram convidar outros proprietários de MPs a participar conosco, fiquem a vontade, pois foram feitas reservas em número suficiente para atender a todos com folga. 
Previsão de tempo é boa.
Qualquer dúvida, entre em contato. 


Aldo"

Veja também:

A escapada vespertina

Sete fachos de luz, a melhor companheira de um viajante noturno. Publicado originalmente no Facebook em 20 de julho de 2015.
Sete fachos de luz, a melhor companheira de um viajante noturno.

Por Jean Tosetto *

Quando decidi aposentar o MP Lafer do uso cotidiano, levei o carro para a chácara de meus pais, com a intenção de dirigir ele uma vez por semana, para manter as baterias sempre carregadas - a dele e a minha.

Mas os compromissos foram se avolumando, invadindo também os fins de semana, e o espaçamento entre as escapadas com o conversível foi aumentando. Desta vez o intervalo atingiu um mês - o que considero um absurdo.

O domingo já tinha virado noite quando resolvi encerrar o hiato. Duvidaram que o carro pegasse, mas fui mais esperto: instalei uma chave geral perto dos terminais da bateria, de modo que o ritual começou.

Acendi a luz da pequena garagem feita especialmente para o MP. Tirei a capa protetora mais pesada por causa do pó que foi acumulando. Liguei a chave geral. Antes de girar a chave no painel, dei três bombadas no pedal do acelerador. Não era mandinga, era um macete para que os carburadores não trabalhassem a seco na ignição.

O motor pegou de primeira. Parecia um velho ranzinza pigarreando, é verdade. Ou seria alguém tentando encher uma bexiga toda amarrotada? O fato é que depois de limpar os pulmões o motor passou a berrar por completo, respondendo às bombadas intermitentes no acelerador.

Fui até a estrada dos pesqueiros, subindo e descendo pequenas elevações, entre matas protegidas e sítios querendo virar cidade. Nas baixadas, passando ao lado dos açudes, o ar fica ainda mais frio e úmido - gostoso de respirar.

Contornando as curvas e as lombadas, adentro no túnel formado pelas copas das árvores se abraçando em cima da pista. O trecho já é lindo durante o dia, com os raios de sol querendo penetrar na festa, brincando com nossas retinas. De noite os fachos de farol salientam o expressionismo em preto e branco das galhadas entrelaçadas, como num filme de Nosferatu.

Finalmente adentro na grande reta do canavial, que nesta época do ano está sendo colhido. O cheiro de vinhaça se mistura com os ventos gelados. E as janelas sempre abaixadas, para não perder um tico sequer daquele odor inebriante para alguns, enjoativo para muitos. Para mim, apenas uma reminiscência da infância e das autênticas festas juninas que aconteciam por aquelas bandas.

Na rotatória, a possibilidade de alcançar a grande estrada, que leva até a divisa do estado. Mas a grande viagem vai ter que esperar. Fiz o caminho de volta, esquecendo-me das miudezas do dia a dia, organizando os pensamentos e tentando aquecer as mãos - uma no volante e a outra entre as pernas.

A espera valeu a pena. O passeio foi curto, mas cumpriu seu objetivo.

* Jean Tosetto é autor do livro "MP Lafer: a recriação de um ícone".

Veja também: