Galeria 2019: Lafer

Percival Lafer ao lado de seu MP Lafer e de dois orelhões, cuja patente original é da Lafer.
Percival Lafer ao lado de seu MP Lafer e de dois orelhões, cuja patente original é da Lafer.

UM CARRO QUE FALA AO CORAÇÃO

Caros amigos, aqui é o Jean Tosetto (sujeito de cabeça dura e coração mole) escrevendo novamente. Quero compartilhar com vocês uma das fotografias mais significativas que tive a oportunidade de registrar. Fiz ela no dia 27 de abril de 2019, instantes antes da largada do passeio do Clube do MP Lafer para Artur Nogueira.

Naquele dia fui o último participante a ligar o motor do carro. Enquanto girava a chave no painel senti um leve toque no ombro esquerdo. Era ninguém menos que o Percival Lafer, que tinha ido prestigiar mais um evento que carrega a história do MP Lafer para frente.

Perguntei se ele ia com a gente, mas ele voltaria para São Paulo. Saltei do meu carro para lhe dar um abraço e perguntei onde estava seu carro. Quis o destino que, entre tantos lugares para estacionar, o MP Lafer 1990 (o último exemplar concluído na fábrica da Lafer) estivesse ao lado de dois orelhões.

Para quem não sabe, os orelhões - como ficaram conhecidas as cabines telefônicas criadas no Brasil a partir dos desenhos da arquiteta Chu Ming Silveira - foram apresentados ao público no começo da década de 1970. Os primeiros moldes foram concebidos pela Lafer, que registrou a primeira patente de fabricação desta peça icônica do mobiliário urbano - o que rendeu para a empresa um contrato milionário de fornecimento das unidades, cujas cópias até hoje podem ser vistas em todo o país.

Eu diria que este contrato, bem como todo o know-how desenvolvido para fabricar as superfícies curvadas dos orelhões em fibra de vidro, foram decisivos para a Lafer iniciar o ambicioso projeto automobilístico da companhia, que ganhou fama criando e produzindo móveis de qualidade internacional.

Repare novamente na fotografia acima. Veja que um orelhão está de costas para o outro. Você consegue ver a silhueta do símbolo universal de um coração? Aí está a chave para compreendermos a razão do sucesso do MP Lafer, senão em termos empresariais, em termos históricos.

A decisão de conceber e fabricar o MP Lafer por 18 anos, entre 1972 e 1990, não foi basicamente racional. Pelo contrário: foi uma decisão tomada com o coração.

Estas são as decisões mais caras: aquelas tomadas com o coração. Quem casou e quem pôs filhos no mundo vai concordar. "Concordar" significa "com cordas". "Cordas" vem de "cordis", que também está na raiz da palavra "coração".

Então, uma decisão de coração nunca é solitária: sempre tem a participação de pelo menos mais uma pessoa. Por isso, todo mundo que "concordou" em por a mão no desenvolvimento, na fabricação e na comercialização do MP Lafer, o fez de coração. Até hoje, quem compra um MP Lafer, o faz para atender um pedido do coração, muitas vezes contrariando o que diz o lado racional.

Isso vale para a restauração do carro também e ajuda a explicar o motivo das crianças sorrirem quando elas veem um MP Lafer passando na rua. As crianças ainda não sabem aquietar o coração. São os adultos, quando atingem a idade da razão, que ficam sisudos.

Neste ponto, vocês entenderam a razão da fotografia acima ser tão significativa?

Observo a imagem e só consigo imaginar (mas nunca vou saber) o preço que o Percival Lafer pagou para entregar, para nós, este carrinho tão apaixonante chamado MP Lafer. É por isso que sinto tanta admiração por ele que, aos 83 anos de idade, não trabalha mais por necessidade, mas por paixão. 

Percival Lafer e Jean Tosetto (quem?) durante lançamento do Guia Suno de Contabilidade para Investidores na Livraria da Vila do Shopping JK, em São Paulo.
Percival Lafer e Jean Tosetto (quem?) durante lançamento do Guia Suno de Contabilidade para Investidores na Livraria da Vila do Shopping JK, em São Paulo.

SITE DO MP LAFER CHEGA À MAIORIDADE: 18 ANOS

Hoje é dia 15 de agosto de 2019. Há exatos 18 anos este site ingressava na Internet, ainda como "mplafer.hpg.com.br" - uma página gratuita que deu origem ao mplafer.net em abril de 2002.

Desde então, já escrevemos dezenas de artigos e publicamos centenas de colaborações para a seção "Galeria", vindas de todo o Brasil e de vários países do mundo. São milhares de fotografias e incontáveis histórias que falam ao coração.

Este foi um site concebido por alguém de coração mole. A cabeça dura serviu para manter ele no ar por tanto tempo, mesmo com os estragos que as redes sociais promovem nos sites e blogs independentes. O Facebook e depois o WhatsApp arrebentaram com a nossa audiência que, se nunca foi espetacular, proporcionou muita coisa boa.

Muita gente se conheceu por causa do mplafer.net e penso que, neste sentido, ele já cumpriu sua missão. Dentre tantas alegrias que esta página me trouxe, uma delas foi escrever um livro contando a história do carro e da marca. "MP Lafer: a recriação de um ícone" foi um divisor de águas na minha trajetória.

Você pode ter certeza que isso tudo não foi nada racional. Foi tudo de coração. Ainda bem. O livro do MP Lafer me abriu portas. Por causa dele, que foi lido pelas pessoas certas, tornei-me colaborador de uma empresa que atua no mercado financeiro - o lugar onde a razão é crucial e a emoção arrasa com os desavisados.

Agora, além de arquiteto, sou de fato escritor. Escrevo artigos voltados para a educação financeira e já estou em meu quarto livro como autor, além de outros livros onde atuei como editor.

Por falar em livros, eles também trazem muitas felicidades, tanto para quem os escreve como para quem os lê. No fim do ano passado, o Percival Lafer lançou o livro dele e fomos lá na Livraria da Vila, no Shopping JK de São Paulo, prestigiar. Logicamente, registramos o fato para este site.

Por coincidência, a Editora CL-A e a Suno Research marcaram o lançamento do Guia Suno de Contabilidade para Investidores no mesmo lugar. O evento ocorreu anteontem e, para minha felicidade, o Percival Lafer esteve lá atendendo ao meu convite. Pude, mais uma vez, dizer o quanto eu gosto dele. Foi uma feliz coincidência que isto tenha ocorrido nesta semana.

Deste modo, renovamos o entusiasmo para seguir em frente: desenhando móveis, escrevendo livros, guiando conversíveis ao lado das pessoas que mais amamos.

Coisas boas acontecem quando você tece o seu futuro com as cordas do coração.

REVERBERAÇÕES

Comentários recebidos via Facebook e WhatsApp (clique nas imagens para aumentar).

SITE DO MP LAFER CHEGA À MAIORIDADE: 18 ANOS

SITE DO MP LAFER CHEGA À MAIORIDADE: 18 ANOS

SITE DO MP LAFER CHEGA À MAIORIDADE: 18 ANOS

SITE DO MP LAFER CHEGA À MAIORIDADE: 18 ANOS
SITE DO MP LAFER CHEGA À MAIORIDADE: 18 ANOS

SITE DO MP LAFER CHEGA À MAIORIDADE: 18 ANOS

SITE DO MP LAFER CHEGA À MAIORIDADE: 18 ANOS

SITE DO MP LAFER CHEGA À MAIORIDADE: 18 ANOS



Veja também:

Vivalendo.com recomenda:

4 comentários:

  1. Carrinho fascinante. Eu nao sabia que Lafer fabricava orelhoes. So que os da foto mais parecem com dois pulmões.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Lafer foi a primeira fabricante de orelhões, na década de 1970. No começo dos anos de 1980 a produção da peça foi encerrada. E de fato, os orelhões da foto também lembram dois pulmões, o que não diminui o caráter metafórico deles, pois os pulmões trabalham junto com o coração para fazer o sangue circular, oxigenando todo o organismo. Portanto, a marca "vivo" combina com eles.

      Excluir
  2. OK, Jean!
    Parabéns!

    Anibal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pai, obrigado por me deixar ir de MP Lafer para a faculdade!

      Excluir

O seu comentário construtivo será bem vindo. Não publicaremos ofensas pessoais ou dirigidas para qualquer entidade. EVITE ESCREVER SOMENTE COM MAIÚSCULAS. Não propague spam. Links e assuntos não relacionados ao tema da postagem serão recusados. Não use termos chulos ou linguagem pejorativa.