MP Lafer: "especialistas" ignoram o que um gênio reconhece

Fotomontagem feita por entusiasta do MP Lafer e colecionador da Revista Classic Show.
Fotomontagem feita por entusiasta do MP Lafer e colecionador da Revista Classic Show.

No tempo da Ditadura, universitário tinha que ser da PUC ou da USP. Ser do Mackenzie pegava mal, assim como curtir a Jovem Guarda. MP Lafer? Era carro de playboy imperialista. A Democracia voltou, mas para certos jornalistas, ignorar o MP Lafer continua na moda, assim como usar calça boca de sino.

Darci Fonseca vive atualmente em Atibaia, cidade ao norte da capital de São Paulo. Ele possui uma ligação umbilical com a história do MP Lafer, pois esteve presente no Salão do Automóvel de 1972 e testemunhou a apresentação do primeiro protótipo da Lafer, o MGT. Porém, somente em 2015 ele realizou o sonho de comprar um MP Lafer, cujo relato já está detalhado no site mplafer.net

Seu entusiasmo por carros sempre o acompanhou e o fez assinar a principal publicação sobre automóveis antigos no Brasil, a Revista Classic Show, editada na cidade de Ijuí, no interior do Rio Grande do Sul. A Classic Show chegou a vender o livro do MP Lafer em sua loja virtual, mediante consignação de exemplares. Em função deles estarem se esgotando, o único canal de vendas agora é a própria página do MP Lafer na Internet.

Se o livro do MP Lafer já figurou em anúncios da loja virtual da Classic Show nas páginas impressas da publicação, o mesmo não se pode afirmar de menções significativas no espaço editorial da revista. Apesar do MP Lafer ser um dos ícones da indústria brasileira dos anos de 1970 e 1980, ele segue completamente ignorado por gente que se propõe a retratar as mais diversas raridades sobre rodas.

Em função disso o Fonseca entrou em contato com o Walter Arruda, presidente do Clube MP Lafer Brasil, e Jean Tosetto, editor deste site, em 05 de maio de 2018, para registrar o seu "protesto":

"Olá, Jean e Walter

No recente evento de Águas de Lindóia cobrei mais uma vez da turma da Classic Show um pouco de atenção para com o MP Lafer, automóvel que a revista simplesmente ignora. Publicou até hoje, num reduzido espaço, a foto do protótipo no Salão do Automóvel de 1972 com meu filho ao volante. Posteriormente enviei para a revista foto da minha passagem pelo stand e, como forma de protesto, vestindo uma camiseta com meu MP Lafer estampado em destaque na capa da revista, capa por mim montada. Mando para vocês a minha 'bronca' (mais uma) na revista.
 Olá, amigos da Classic Show. Como diz o ditado popular 'Se a montanha não vai a Maomé, Maomé vai à montanha'... Assinante que sou desta magnífica revista sobre antigomobilismo, a melhor do gênero, todos os anos quando vou ao stand em Águas de Lindóia reclamo a não publicação na Classic Show de nada sobre o fora de série nacional MP Lafer. Menos ainda seria esperar ver o simpático conversível focalizado na capa da CS. Como lá se vão 18 anos desde o primeiro número e logo chegamos ao número 100 da Classic Show, decidi 'protestar' montando uma capa com o MP Lafer em destaque, capa estampada em uma camiseta com a qual visitei o evento. Fui, como sempre, simpaticamente recebido pelo Sandro e pelo querido Gê Ferreira que riram com o 'protesto'. Envio uma foto para, quem sabe, o automóvel criado por Percival Lafer venha a ser brevemente lembrado pela Classic Show.

Abraços a todos.
Darci Fonseca"

O primeiro a responder foi o Walter Arruda, já no dia 07:

"Bom dia Darci,

Muito bom o protesto! Afinal, temos um site, divulgamos nossos eventos e a Revista não se dá ao luxo de se interessar pelos eventos do Clube. O MP Lafer foi e ainda é um ícone da Indústria Automobilística Nacional. Figura entre os foras-de-série mais importantes fabricados no Brasil, tanto é que teve 1/3 da sua produção exportada. Se houver resposta, peço para nos encaminhar.

Abraços,
Walter Barboza de Arruda"


Palestra de Percival Lafer na Loja Teo em São Paulo: um evento ímpar da semana de design da metrópole em 2017.
Palestra de Percival Lafer na Loja Teo em São Paulo: um evento ímpar da semana de design da metrópole em 2017.

No dia seguinte foi a nossa vez de responder:

"Caros Darci e Walter,

Existe um preconceito velado contra o MP Lafer na imprensa dita especializada em carros.

Darei um exemplo: no ano passado fui convidado pelo próprio Percival Lafer para prestigiar a trajetória de sua carreira como designer de móveis, num antiquário que conseguiu reunir diversas peças de seus mais de 50 anos de ofício, inclusive com um MP Lafer estacionado na vitrine.

Neste evento o Percival fez uma breve palestra e respondeu perguntas da plateia. Naquele dia ele comprou 17 exemplares do livro do MP Lafer para levar para um evento na Europa.

Tinha um jornalista que já cobriu Fórmula 1 para os grandes jornais brasileiros e hoje é colunista de um famoso site sobre automóveis. Ele veio conversar comigo e me pediu uma dedicatória no livro do MP Lafer. Também fui cara de pau: pedi um comentário sobre o livro - positivo ou negativo - em algum de seus textos.

Depois, tive o prazer de conhecer o escritor Ignácio de Loyola Brandão - gênio da literatura brasileira e reconhecido mundialmente. Para ele não pedi nada, apenas um autógrafo. Ele tentou comprar meu livro, mas não tive coragem de vender. Dei um exemplar de presente para o escritor.

Resultado: o grandioso, generoso e benevolente Loyola escreveu uma crônica para o Estadão dedicada ao MP Lafer. Nela ele mencionou meu trabalho. Classificou meu livro como "delicioso". O outro jornalista, especializado em carros, sumiu do mapa. É por isso que vocês não saberão o nome dele.

Esqueçam o pessoal da Classic Show. Já tiveram e perderam a chance de fazer, espontaneamente, uma bela reportagem com o MP Lafer. Eu mesmo já mandei um artigo para eles, que ficou sem resposta.

Vamos continuar fazendo a nossa parte: belos eventos como o recente passeio até Socorro. Que  entusiasta do MP Lafer precisa de mais?

Abraços,
Jean Tosetto" 

Documento histórico: palestra de Percival Lafer sobre a retrospectiva de sua carreira.

Agora vejam como o mundo é pequeno, na mensagem de retorno do Darci Fonseca:

"Olá, Jean (e Walter)

Como eu gostaria de encontrar com o Loyola, com quem trabalhei no jornal Última Hora, em São Paulo. Ele, repórter de variedades, ainda era o editor do U.H. Revista e secretário gráfico da 2.ª edição, que saia à tarde. Naquele tempo (1962/64) havia isso. Veio o golpe e Loyola procurou novos rumos passando a escrever com incrível sucesso. Esse araraquarense já passou dos 80 anos e continua ativo como você testemunhou.

Quanto ao preconceito em relação ao MP Lafer, sei que ele existe e já senti isso inúmeras vezes, mas pouco importa pois o amor pelo MP é muito maior que essa bobagem. Quem sabe, como você sugeriu, eu entregue os pontos e deixe de cobrar a Classic Show, pois tudo cansa na vida, até reclamar. 

Não acredito que venham a publicar a 'bronca' ou mesmo responder, mas se isto ocorrer digo a vocês.

Abração do Darci Fonseca."

Reprodução de parte da crônica de Ignácio Loyola de Brandão sobre o MP Lafer, publicada originalmente no Estadão.
Reprodução de parte da crônica de Ignácio de Loyola Brandão sobre o MP Lafer, publicada originalmente no Estadão.

ATUALIZANDO

Recebemos do Darci Fonseca em 20 de julho de 2018 a imagem a seguir, publicada pela Revista Classic Show na seção de correspondência com os leitores.

É assim que um MP Lafer aparece na revista de Ijuí: na seção dos leitores - nunca na capa.
É assim que um MP Lafer aparece na revista de Ijuí: na seção dos leitores - nunca na capa.

Nossa opinião sobre a possibilidade da revista sulina publicar um MP Lafer em sua capa recorre a um chavão:

- É melhor esperar sentado.

Veja também:

MP Lafer: a recriação de um ícone. O livro mais esperado dos últimos 40 anos (pelos laferistas). Clique na imagem para acessar a loja virtual.
MP Lafer: a recriação de um ícone. O livro mais esperado dos últimos 40 anos (pelos laferistas). Clique na imagem para acessar a loja virtual.

2 comentários:

  1. Olá, Jean. De fato a relação com o MP não deixa de ser umbilical. Afinal de contas são quase 46 anos desde aquele evento que tive a sorte de poder registrar. O Loyola era e continua sendo uma figura especial. A Última Hora era reduto de fantásticos jornalistas. Quando fomos 'comprados' pelo Grupo Folhas ainda tive pequenos contatos com ele que estava inteiramente infeliz na nova casa. Destruíram a paixão dele que era o jornal, mas ele soube abrir uma porta descomunal em sua vida, além de prosseguir como jornalista. só não entendo ele não vencer a dificuldade de aprender a dirigir. Estranho isso porque automóvel era o sonho de toda aquela geração. Em tempo: eu não era jornalista e sim gráfico, linotipista. Quando o Loyola vinha à oficina secretariar o fechamento, eu ,que gostava demais de cinema, não perdia a oportunidade de conversar com ele. Bons tempos. Obrigado pela publicação do 'protesto'. E quer saber... Acho que esta foi a última renovação de assinatura. Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Darci, a mídia impressa e tradicional está acabando. Em breve serão todos engolidos pelos veículos da nova Era Digital. Pena para uns, oportunidades para outros.

      Excluir

O seu comentário construtivo será bem vindo. Não publicaremos ofensas pessoais ou dirigidas para qualquer entidade. EVITE ESCREVER SOMENTE COM MAIÚSCULAS. Não propague spam. Links e assuntos não relacionados ao tema da postagem serão recusados. Não use termos chulos ou linguagem pejorativa.