Livro do MP Lafer ganha versão digital

O livro digital do MP Lafer será vendido pela Amazon do Brasil.
O livro digital do MP Lafer será vendido pela Amazon do Brasil.

Lançado como versão impressa numa produção independente em 2012, o projeto editorial chega ao ambiente dos e-books com uma nova diagramação.

Por Jean Tosetto

Quando escritores independentes lançam livros ou novas edições, eles sentem um misto de cansaço e satisfação. No meu caso, minha musculatura tensionada parece pesar mais, porém estou com o espírito aliviado. Parece que estou revivendo aqueles dias luminosos da primavera de 2012, quando o livro "MP Lafer: a recriação de um ícone" foi apresentado na sede do Instituto de Arquitetos do Brasil em São Paulo.

Agora, vendo em perspectiva, posso garantir que este livro foi escrito na época certa. Se esperasse mais um ano para escrevê-lo, não teria conseguido, pois meu escritório de Arquitetura não teria dado brechas para fazer outra coisa, salvo desenvolver projetos. Se esperasse dois anos, dificilmente teria alocado o valor de um Renault Sandero zero km na gráfica. 2014 foi o começo da pior recessão da república brasileira.

A despeito disso, o livro do MP Lafer vem construindo uma linda trajetória: foi distribuído em todo o território nacional, do Rio Grande do Sul até o Pará, além de 15 países em quatro continentes. Onde tem um entusiasta do MP Lafer, tem um livro do carro por perto, não importa o idioma: Alemanha, Itália, Estados Unidos, Canadá, Malásia, Japão... Minhas palavras chegarem em lugares que nunca fui pessoalmente.

A segunda edição, concebida como e-book, ganhou diagramação específica para valorizar as imagens em formatos distintos.
A segunda edição, concebida como e-book, ganhou diagramação específica para valorizar as imagens em formatos distintos.

Já me disseram que este livro era um capricho da minha parte, num tom de voz pejorativo. Mas o destino respondeu por mim de forma bem caprichosa: o livro do MP Lafer me rendeu o convite para escrever outro livro, "Arquiteto 1.0", em parceria com o professor Ênio Padilha. E quando o livro do MP caiu nas mãos do Tiago Reis, fundador da Suno Research, a brincadeira ficou séria e bem profissional: ele me convocou para ser colaborador da empresa. Entrei para o mercado financeiro.

Desde então, eu e o Tiago já lançamos dois livros: o campeão de vendas no segmento de finanças investimentos da Amazon, Guia Suno Dividendos; e também o Guia Suno de Contabilidade para Investidores, igualmente bem avaliado pelos leitores.

A parceria com a Suno está sendo tão produtiva que pela primeira vez fui editor de outros autores para lançar o Guia Suno Fundos Imobiliários, dos genais Marcos Baroni e Danilo Bastos.

Sinceramente, se eu fosse você leria todos eles. São livros com educação financeira concentrada na veia, para ajudar no planejamento da plena aposentadoria no longo prazo.

O Guia Suno Dividendos foi lançado como e-book em 2017, mas já ganhou versão impressa pela Editora CLA em 2018. Os outros livros da Suno devem fazer o mesmo caminho, mas as versões digitais vieram para ficar. Por isso o Tiago Reis me incentivou a levar o livro do MP Lafer para a loja da Amazon.

Das 168 páginas em formato A4 com duas colunas da versão impressa, para 322 páginas em formato A5 com uma coluna de texto: um tijolinho virtual.
Das 168 páginas em formato A4 com duas colunas da versão impressa, para 322 páginas em formato A5 com uma coluna de texto: um tijolinho virtual.

Pensei no grande trabalho que isso daria e fui protelando o projeto da segunda edição. Teria que fazer muitas coisas: revisar o texto novamente, refazer a diagramação, aprender a migrar os arquivos para a plataforma de publicação no Kindle, elaborar um índice virtual - coisas que a equipe da Suno sempre fez por mim, mas que agora teria que fazer sozinho.

Então veio o lançamento do livro "Percival Lafer: Design, indústria e mercado". Tive a honra de ver a menção do livro do MP Lafer nele. Olhei para o estoque dos exemplares, já na reserva, e pensei: "A história da recriação de um ícone não pode acabar com o último exemplar impresso vendido, tenho que garantir a sua continuidade."

E aqui vai uma confissão: não tenho planos para fazer uma terceira tiragem do livro no curto prazo. Sim, eu encomendei duas tiragens anteriormente, mas os custos com os Correios estão crescentes e o valor total de cada exemplar está cada vez mais proibitivo. A solução seria deixar uma editora de porte assumir o livro e cuidar da distribuição, mas enquanto isso não se concretiza, resolvi democratizar o acesso ao livro através da versão digital, a ser vendida num preço bastante razoável.

Então, o trabalho noturno e de fim de semana recomeçou, preservando os dois turnos diários dedicados para a Suno e para o escritório de Arquitetura. Reli cada linha do texto original e fiz pequenas melhorias, sem alterar o teor da mensagem. Desenvolvi uma nova diagramação, mais adequada para o formato eletrônico: no lugar das duas colunas de textos em grandes páginas do padrão A4, optei pelo padrão reduzido A5 com apenas uma coluna. Com isso, o livro que tinha 168 páginas impressas grandes, passou para 322 páginas eletrônicas, proporcionando uma leitura mais fluída em telas de smartphones e tablets.

Optei por manter o conteúdo original. Poderia ter acrescentado algumas imagens e um capítulo, mas prefiro deixar esta ampliação mais para frente, conforme novos acontecimentos possam ser considerados para completar a trajetória do carro, lembrando que os exemplares físicos remanescentes do livro ainda estão disponíveis para encomenda.

Desta vez não haverá evento de lançamento. O livro do MP Lafer já está na loja virtual da Amazon, que disponibilizou os primeiros 10% dele para degustação: são 32 páginas para ler de graça! Agora ninguém mais tem desculpa para não ler um pouco de uma história tão bonita.


Veja também:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O seu comentário construtivo será bem vindo. Não publicaremos ofensas pessoais ou dirigidas para qualquer entidade. EVITE ESCREVER SOMENTE COM MAIÚSCULAS. Não propague spam. Links e assuntos não relacionados ao tema da postagem serão recusados. Não use termos chulos ou linguagem pejorativa.