Super Classic recebe a bandeirada em 2007

Romeu Nardini acompanhou de perto o encerramento da temporada paulista de automobilismo de 2007, com atenção especial à categoria Super Classic, fotografando os carros de corrida mais cativantes dos últimos tempos, no panorama brasileiro. Mais uma vez ele conta tudo para o site mplafer.net:

A tão esperada última etapa da Super Classic, foi realizada no último sábado, primeiro de dezembro, pela décima etapa do campeonato paulista de automobilismo. Nada menos do que 38 carros se apresentaram para a largada. Um excelente número no grid, para a categoria xodó do automobilismo paulista. Belos carros, ótimos pegas, e aquele lindo colorido presente mais uma vez, enchendo a pista de Interlagos de carros clássicos.

Grid de largada repleto de cores limpas e carros artesanais. O automobilismo na sua essência.

Destaque para a sempre combativa BMW do Dr. Luque, o bravo Fiat Topolino do Nenê Finotti, a vitoriosa Puma do Malanga, e o carismático Zé do Caixão do Gildo, que mais uma vez disputaram os primeiros lugares. Felizmente sem incidentes graves - uma ou outra rodada sem conseqüências -desfilaram pela pista Fiats 147, JK, Pumas, Fuscas, Passats, DKW, Karmann Ghias, Chevettes, Bianco, Miura, Porsches.

No "S" do Senna, oito bólidos buscam a tangência das curvas, com novo asfalto.

Outro destaque foi a vitória maiúscula do Fiat 147 do Marcelo Giordano, na Divisão 1. Muito comemorada pelo piloto, seus "mecas" e a equipe L.F Restaurações. Neto Carloni, também com uma Puma venceu na Divisão 2. Por problemas mecânicos apresentados nos treinos, o simpático MP Lafer do Zé Maria ficou nos boxes e não pode participar da prova.

Em uma bela tarde, esses carros e seus valorosos pilotos alegraram o bom público presente, que também acompanhou as outras categorias do Campeonato Paulista e os treinos classificatórios para a internacional prova de GT3.

A comemoração de Giordano, mais do que merecida. Terá sido a última da Super Classic?

O ano de 2007 se encerra para a Super Classic, com a esperança de que, em 2008, os dirigentes se entendam, trabalhem juntos para fortalecer ainda mais a categoria, continuando a atrair mais participantes, novos carros, novas idéias. Mas infelizmente as primeiras noticias não são boas.

Um novo regulamento está sendo preparado, e para alguns a categoria está praticamente extinta, pelo menos nos moldes em que era praticada até esta última prova. Aqui vai o link para a notícia dada por Flavio Gomes em seu blog, contando os detalhes sobre o novo regulamento:
Superclassic: o canto do cisne

Eu, como sou otimista e ainda acredito nas pessoas, prefiro aguardar mais um pouco, até que as notícias esclareçam melhor o que deverá ocorrer para o ano de 2008. De qualquer forma fica aqui a minha homenagem e admiração aos pilotos, mecânicos, chefes de equipes, organizadores, fãs, torcedores e a todos aqueles que com muita luta e sacrifício, tornaram a Super Classic uma das principais categorias do Campeonato Paulista. Afinal não é sempre que se pode ver um grid de largada com cerca de 40 carros.

E esse talvez seja um dos motivos que acabaram por incomodar, certas cabeças pensantes (?) do nosso automobilismo.

Até o ano que vem.

Homenagem aos clássicos da Super

O MP Lafer-Baratamarela de Zé Maria. Beleza esportiva.

O JK do Betão Reis - liderança dentro e fora das pistas.

O Bianco inspirado nas cores do GT 40, de Magnussem.

O Passat do Carlos Braz, corredor por paixão.

O VW Zé do Caixão do Gildo - um quatro portas veloz.

O Fiat Topolino do Nenê Finotti - sempre favorito.

A Laferrari do Romeu ao lado de uma... Ferrari. Estas máquinas aí não correm, mas acompanham a Super Classic dos boxes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O seu comentário construtivo será bem vindo. Não publicaremos ofensas pessoais ou dirigidas para qualquer entidade. EVITE ESCREVER SOMENTE COM MAIÚSCULAS. Não propague spam. Links e assuntos não relacionados ao tema da postagem serão recusados. Não use termos chulos ou linguagem pejorativa.